Vivendo em Londres: A aventura começou antes da chegada

By  |  0 Comments

Saudações tupiniquins!!!!!!

Este é o primeiro texto contando a minha experiência de morar em Londres e estou ansioso para compartilhar tudo que ando vivendo na terra da rainha. Morar em outro país, outra cultura, outro mundo, está me surpreendendo todos os dias e além de contar quero tentar ajudar quem tem este sonho ou curiosidade.

A aventura já começou antes de chegar em Londres. Como não falo, entendo muito pouco e aprender a língua inglesa é um dos motivos de morar em Londres, tudo é mais complicado e quase custou a perca do voo.

1ª Dica: Conseguir entender e falar pelo menos o básico de inglês.

O meu trajeto foi o seguinte, parti de Goiânia – Goiás(minha terra querida) para o aeroporto de Guarulhos, seguindo de lá fui para Paris apenas para fazer uma conexão e pegar outro voo para Amsterdam onde fiquei três dias e depois segui viagem de ônibus  até Londres.

Chegando na Europa por Paris já tive minha primeira aventura, minha conexão tinha um intervalo de duas horas entre descer no aeroporto de Paris e pegar o voo para Amsterdam. Essas duas horas pareciam ser mais que o suficiente já que era só descer de um avião e pegar outro. Mas, caro viajante sem noções de inglês. Não se engane! O aeroporto de Paris é gigante e quando desci  tinha uma fila enorme na imigração.

Imagem relacionada

REPRODUÇÃO

Como já tinha recebido uma dica de passar na frente para não perder a conexão, assim eu fiz e ninguém tentou me impedir, mas caso alguém se aborreça porque você tá cortando a fila é só informar que vai fazer conexão e seu voo está saindo que é algo normal.

 

2ª Dica: Corte a fila da imigração ou até mesmo do detector de metais caso seu voo estiver próximo de decolar.

Mesmo cortando fila perdi preciosos quinze minutos até passar pelo oficial da imigração francesa que me perguntou algumas coisas que não entendi(rsrsrs), repeti algumas vezes  em inglês que estava atrasado para minha conexão e como ele percebeu que eu  não estava entendendo o que me perguntava, fez uma careta, carimbou meu passaporte e me deixou passar.

Como não tinha entendido nada nesse primeiro contato, comecei a ficar preocupado principalmente  quando vi o mapa do aeroporto que é gigante. Então fui tentar obter minha primeira informação de onde pegaria meu voo. A falta de entendimento continuou junto com uma falta de vontade do querido atendente que não fez muita questão de me ajudar com uma explicação de poucos segundos. Isso mesmo! Já comecei a não gostar de todos os franceses por esse motivo(agora é rsrsrsr) e como percebi que esse nobre senhor não me ajudaria muito, aproveitei que o mesmo apontou uma direção e fui apressando os passos. Cheguei no balcão de informações e fui atendido por uma nobre senhora que seu principal interesse pareceu ser me livrar de mim. Putz! Também aproveitei só a direção que me apontou e por isso comecei a andar mais rápido e até a correr com uma mochila de aproximadamente cinco quilos.

Resultado de imagem para aeroporto de paris mapa

REPRODUÇÃO

Após este primeiro contato com franceses que não deram muita atenção a esse pobre viajante, minha sorte começou a mudar. Solicitei informações para um trabalhador do aeroporto que foi muito atencioso e gentil ao perceber a minha dificuldade, levou-me até um ponto de trem que eu deveria pegar para ir a outro terminal que seria o local de partida do meu voo. Era isso que eu não estava entendendo! Como o aeroporto é  muito grande, tinha que pegar um trem para outro terminal e andar mais um bocado, mas quando junta o desespero com a pressa fica cada vez pior a sua compreensão.

Cheguei no terminal certo faltando uns quinze minutos para o meu voo partir. Fui no balcão de informações e com muita atenção e paciência a atendente me ajudou bastante, mas antes fez uma feição de desespero devido ao meu tempo que estava no final. Neste momento corri, corri e corri enquanto olhava as milhares de pessoas bonitas e bem-vestidas tomando um café ou uma taça de vinho bem tranquilas aguardando seus voos no lindo aeroporto de Paris e esse era os meus planos também (rsrsrsrsr).  Ms meu despreparo não permitiu apreciar esse momento. Felizmente consegui chegar no portão de embarque em cima da hora. A fila já estava no final com meia dúzia de pessoas faltando entrar. Eu todo suado, cansado, mas feliz de ter conseguido cumprir a minha missão. Pois é! Virou uma missão algo que era pra ser simples.

O embarque para Amsterdam foi garantido. Descobri que como em qualquer lugar do mundo existem pessoas que vamos simpatizar e outras não. Encontrei franceses super legais e mesmo aos trancos e barrancos tudo deu certo no início da minha aventura.

Então caros viajantes das galáxias, estude bastante a língua inglesa que é muito importante em qualquer lugar do mundo, cuidado com as conexões, tenha muita calma, diminua ao máximo o peso da sua bagagem de mão(assim você pode correr com ela srsrsrsrsrsr) e boa viagem!

No próximo post, ainda antes de chegar em Londres, vamos falar sobre os três dias que fiquei em Amsterdam. Dicas e  curiosidades. E  porque você já não manda suas dúvidas? Assim posso colocar no próximo texto. Até a próxima!

Economista, Controller Financeiro atualmente atuando como Trader, isso profissionalmente. Pai do Aquiles, eterno amor há minha rainha, boêmio em decadência(rsrsrs), amante das artes principalmente música e por isso, aprendiz de gaita. Estrategista e planejador me divirto com um bom oponente no xadrez ou poker. Política, Filosofia, Economia, Sociologia, Matemática entre outras matérias me fascinam. Adoro esportes, até mesmo os mais exóticos! Goiano morando em Londres vou tentar compartilhar o máximo de experiências nessa jornada que começou a pouco.