Estilo de vida fitness: Cassiane Lucheta e César D’Agnoluzzo contam como transformaram seus corpos

Se você ainda acha que é “impossível” emagrecer, mudar o corpo e adotar um novo estilo de vida, esse texto é para você.

Entrevistamos o casal Cassiane Lucheta, 27 anos, advogada e César D’Agnoluzzo, 27 anos, empresário, para mostrar que é possível, sim, mudar completamente apenas com a dupla alimentação e academia.

O antes

A mudança começou em outubro de 2014, quando Cassiane procurou uma nutricionista para emagrecer. Foi quando tudo começou a mudar para os dois. Apesar de Cassiane ter buscado orientação nutricional primeiro, logo César seguiu a mesma ideia e começou a reeducação alimentar, mas com um objetivo completamente diferente: ganhar massa muscular.

A Cassiane estava acima do peso e com um percentual de gordura de 45%. Seu primeiro objetivo era emagrecer e, depois, hipertrofia e definição. Já César tinha apenas 9% de gordura corporal. “Sempre fui muito magro. Praticava muitos esportes, principalmente futebol, gastava muita energia, mas não tinha nenhum cuidado com a alimentação. Zero mesmo. Naquela época, eu e a Cassi saíamos muito para comer fora, comíamos mal. Com a reeducação alimentar, isso mudou completamente”, conta ele.

Logo no início da reeducação alimentar, o casal mudou para LEM, uma cidade nova onde não conheciam ninguém. A primeira atitude foi entrar na academia do SPA. “O SPA foi transformador nas nossas vidas. Primeiro, claro, pela mudança física que a academia nos proporcionou, mas também porque foi ele que nos fez ficar e gostar de LEM. Não conhecíamos ninguém e foi através da academia que conhecemos pessoas, fizemos bons amigos e conseguimos socializar. Foi fundamental para nosso estilo de vida”, explica Cassiane.

Cassiane em 2014

Diagnóstico inicial: sobrepeso.

Idade: 24 anos

Peso: 70.8kg

Altura: 1,65 metros

Percentual de gordura corporal: 45%

 

 

César em 2014

Diagnóstico inicial: ganhar massa muscular.

Idade: 24 anos

Peso: 66,1 kg

Altura: 1,71 metros

Percentual de gordura corporal: 9%

 

A mudança

Com o acompanhamento nutricional e a ajuda do personal trainer Eduardo Oliveira, o casal começou a fazer exercícios físicos 5x por semana, na academia do SPA. O personal traçou metas e montou planos de exercícios focados em cada etapa da transformação corporal do casal. Na reeducação alimentar, nada de segredos: cardápios personalizados e o casal seguiu todas as orientações da nutricionista. “Logo nos acostumamos com as dietas e isso se tornou muito normal para nós. Entrou na nossa rotina: tanto a dieta, como a academia. Um pouquinho de persistência no início é preciso, mas depois nosso corpo já sentia falta da rotina, caso faltássemos à academia ou burlássemos a dieta”, contou Cassiane.

César fez uma transformação radical: em 6 meses, aumentou 20kg! Depois, em 3 meses, focou sua dieta e treinamento para perder gordura, perdendo 10 kg, para então focar no aumento de massa magra. A rotina na academia fez toda diferença.

Em dezembro de 2015, Cassiane já havia perdido 16,6k kg e estava com um percentual de gordura de 15%. Foi quando começou seu novo objetivo: hipertrofia e definição.

 

Hoje

“Ter mudado nosso estilo de vida juntos foi muito importante: um deu força ao outro. Como trabalhamos durante o dia, muitas vezes nos víamos novamente na academia, e isso foi muito importante. Malhar juntos e cuidar da saúde juntos fortaleceu ainda mais nosso relacionamento”, conta Cassiane.

“Nós mudamos muito, tanto nosso corpo como nosso estilo de vida. Teve uma vez que fomos visitar a família no Rio Grande do Sul, e alguns amigos meus, que já conheciam a Cassi, não a reconheceram”, afirma César.

Mudar o estilo de vida é isso: perseverar. Talvez o segredo seja só um: encontrar bons profissionais e uma academia que te acolha, te anime! Como o casal nos contou, a academia fez toda diferença no processo e no resultado. A Fit Club, academia do SPA, é uma porta de entrada para muitas mudanças na sua vida. Experimente!

Cassiane hoje

Peso: 58 kg

   Percentual de gordura: 13%

                                 Objetivo (ele nunca termina): definir.            

 

  

         

César hoje

Peso: 76 kg

Percentual de gordura corporal: 7%

 

ACADEMIA FIT CLUB

Localização: SPA Carpe Diem, no Jardim Paraíso/LEM

Telefone: 77 99921-0222

Redes sociais: @fitclub.academia

PET | Alimentos tóxicos para cães e gatos

Se você é daqueles que não consegue resistir à carinha do seu bichinho pedindo comida, preste atenção. Alguns alimentos são realmente perigosos para eles, pois os organismos dos nossos peludos funcionam de forma diferente do nosso.

Mesmo que você já tenha lido ou ouvido alguma história de que um cão ou um gato consumiu algum alimento impróprio para eles e que “não aconteceu nada”, devemos interpretar essas histórias como exceções, onde os animais, felizmente, tiveram sorte, e não como qualquer garantia de segurança. Nesta lista vamos citar os principais alimentos que podem colocar em risco a saúde dos animais:

Leite e derivados
Como não produzem altas quantidades de lactase, enzima que auxilia na digestão da lactose do leite, cães e gatos desenvolvem intolerância ao alimento. Quando ingerido, o leite pode provocar dores abdominais, náusea e diarreia.

Chocolate e doces
O chocolate contém teobromina, um derivado do cacau que leva à intoxicação grave e pode levar até à morte. Já os doces, ricos em açúcar, não só são calóricos, em excesso, podem tornar os pets obesos e diabéticos. Além disso também são responsáveis por formação de tártaro, cáries e até perda do dente.

Cebola e alho
Ambos possuem uma substância chamada dissulfeto de n-propil que gera intoxicação grave pois altera a hemoglobina, provocando a destruição de glóbulos vermelhos, além de poder levar à icterícia e perda de sangue pela urina. Caso o quadro não seja tratado rápido, o animal pode falecer.

Uvas e passas
Não há uma explicação com comprovação científica, mas há relatos na medicina veterinária mostrando cães que morreram após ingerir esse tipo de alimento por falência renal.

Café e chá preto
Contêm alcaloides neurotóxicos, como as xantinas, que podem resultar em alterações cardíacas e neurológicas. É importante evitar o acesso do animal às xícaras dessas bebidas que às vezes são esquecidas pela casa.

Frutas cítricas e outras
As frutas mais ácidas causam problemas digestivos, por isso devem ser evitadas. No geral, as frutas podem ser oferecidas, com cuidado especial para maçã, já que as sementes são altamente tóxicas para cães e gatos, pois carregam um composto conhecido como cianogênico-cianida – com poder de alterar o processo de respiração celular dentro do organismo do animal, causando palidez das mucosas, taquipneia, taquicardia, náuseas, vômito, convulsões e até a morte. Em excesso, as frutas podem engordar os animais por serem ricas em frutose, um tipo de açúcar.

Doces dietéticos
Aqueles adoçados com xilitol podem causar danos hepáticos e até a morte em cães mais sensíveis. Isso inclui balas, biscoitos, entre outros.

Abacate
Contém o ácido persin que pode provocar vômito e diarreia no cão.

Tomate e batata
O tomate verde contém glicoalcalóides que são tóxicos para o cão, e a batata, principalmente a inglesa, é rica em solanina, que pode causar depressão no sistema nervoso central e distúrbios gastrointestinais.

Noz macadâmia
Tem uma toxina desconhecida que pode afetar os músculos, o sistema digestivo e o sistema nervoso dos cães. Já foram registrados casos de paralisia em alguns animais.

Massas cruas de pão ou bolo
O fermento presente nessas massas resulta em gases no trato digestivo do animal, causando dor e desconforto pela distensão do estômago ou das alças intestinais.

Frituras e alimentos gordurosos
Pizza, queijos, batata frita e outros itens da alimentação humana não só causam um desarranjo intestinal como podem levar à pancreatite, inflamação do pâncreas que pode acabar em morte do animal.

Ovos e carnes cruas

Estes alimentos, quando não estão cozidos, podem conter bactérias como a Salmonella e a E. coli. Estas bactérias podem ser muito perigosas para a saúde do seu animal de estimação. A ingestão de ovos crus pode também induzir a problemas de pele e de pelo.

Álcool

A ingestão de alimentos com estes produtos pode provocar vômitos, diarreia, diminuição da coordenação motora, dificuldade em respirar, tremores e até mesmo a morte.

Sal

Se você costuma cozinhar para o seu cão ou gato, não coloque sal na comida. O sal pode provocar  vômitos, diarreia, depressão, tremores, febre, convulsões e até mesmo a morte.

*

Você pode garantir que o seu cão tenha uma dieta saudável e equilibrada, pedindo que  seu veterinário recomende uma ração de qualidade. Uma alimentação bem projetada dá a seu animal de estimação todos os nutrientes  que ele necessita para uma vida ativa e saudável. Mas se você está olhando para a alimentação humana como um substituto de refeição, converse com seu veterinário sobre quantidades e freqüência.

A alimentação do atleta: do amador ao profissional

Cada modalidade tem suas peculiaridades e exige uma rotina de treino específica. No entanto, quando vamos falar de alimentação para atletas, alguns pontos gerais podem auxiliar os indivíduos independentemente da modalidade praticada. O acompanhamento nutricional apropriado ajuda a aprimorar o desempenho atlético, a otimizar o programa de treinamento, a acelerar a recuperação e a evitar lesões.

Sendo assim, veja abaixo cinco fatores nutricionais com os quais os atletas  devem se preocupar:

Hidratação 

A necessidade de água varia de acordo com a temperatura corporal e o meio ambiente em que estamos inseridos. Durante a prática de atividade física, a temperatura do corpo se eleva, e o suor intenso é uma estratégia do organismo para diminuir a temperatura. Porém, com isso, podem ocorrer quadros de desidratação. A água participa praticamente de todos os processos biológicos que ocorrem em nosso organismo, além de ser fundamental para todos os seres humanos e, principalmente, para as pessoas fisicamente ativas.

 

 Fracionamento

O primeiro passo de toda dieta ou reeducação alimentar é o fracionamento. De nada adianta concentrar todo o aporte energético em 1 ou 2 refeições no dia, ou mesmo apenas nos pré e pós treinos. Esse hábito é importantíssimo para manter os níveis de glicose e aminoácidos do atleta, evitando quadros de catabolismo e hipoglicemia e contribuindo para a melhora da performance e também para sua recuperação. A síntese e renovação proteicas ocorrem a todo momento em nosso corpo, portanto a necessidade de nutrientes é constante.

 

 Aporte energético apropriado

Nossa principal fonte de energia são os carboidratos e, quem pratica atividade física pode ter essa necessidade aumentada, já que o gasto também é maior. O tipo e a quantidade de carboidratos vão variar de acordo com cada um e o momento do treino, podendo ser de uma fonte de liberação mais imediata ou gradual. O carboidrato é considerado também um “poupador” de massa muscular, uma vez que, ao ser utilizado, como fonte de energia, ocorre a inibição do catabolismo de proteína. A baixa reserva de glicogênio (forma de armazenamento dos carboidratos) pode acarretar em falta de energia e comprometer diretamente a performance do atleta.

 

 Aporte proteico balanceado

Atletas também têm necessidade aumentada de proteína –2 a 4 vezes mais que o valor recomendado. Essa é a principal estrutura do músculo! Ao consumir a quantidade ideal de proteínas, o atleta também reduz a possibilidade de eles serem utilizados como fonte de energia durante o exercício. O baixo consumo deste macronutrientes pode ocasionar perda de massa magra e até favorecer o surgimento de lesões pelo enfraquecimento e fadiga muscular. Como estratégia para tal aumento proteico, utilizamos, por exemplo, whey protein e blends proteicos, que trazem todos os benefícios de uma proteína completa com praticidade.

 

Equilíbrio e variedade

Jamais podemos deixar de pensar no equilíbrio quando o assunto é nutrição. Precisamos garantir que todos os nutrientes estejam sendo devidamente fornecidos ao nosso corpo e, sempre que possível, utilizar de alimentos in natura. Eles possuem nutrientes que agem em sinergia, fornecendo o melhor para nós. Alguns alimentos são mais ricos em determinados nutrientes que os outros, e vice versa, portanto é importante que ocorra uma variação deles também, para não ocorrer nenhum tipo de deficiência que possa prejudicar o desempenho.

Para quem tem a intenção de conseguir a hipertrofia muscular ou o emagrecimento, fazer uma comparação entre o valor calórico da dieta e o gasto energético diário é o ponto de partida. Além disto, os alimentos consumidos antes, durante e após o exercício também têm papel fundamental no resultado da atividade física.

Antes dos treinos, em academia ou não, tenha os seguintes cuidados:

  • Evite praticar a atividade física em jejum.
  • Controle do sal e de outras fontes de sódio.
  • Faça uma refeição leve cerca de 1 hora a 40 minutos antes do exercício.
  • Opte por alimentos de baixo a moderado índice glicêmico. Assim, frutas como maçã, pêra além de pães (de preferência com uma mistura de farinha branca e integral), torradas e sucos naturais podem ser usados antes da prática.
  • A ingestão de alimentos ricos em proteínas não é recomendada antes da atividade física. Assim, evite sempre leite, queijos, carnes, presunto.
  • A ingestão de alimentos ricos em proteínas não é recomendada antes da atividade física. Assim, evite sempre leite, queijos, carnes, presunto.
  • Alimentos ricos em óleo e gorduras e os muitos ácidos não são aconselháveis antes da atividade.
  • O café e os alimentos ricos em cafeína como chá mate e o preto são diuréticos e não devem ser usados em excesso antes do exercício.
  • A hidratação é importante até mesmo neste momento. Assim, consuma de 200 a 400 ml de água entre 60 e 30 minutos antes do exercício.
  • Para evitar a distensão abdominal evite o consumo de alimentos com excesso de fibras antes do exercício.
  • É desaconselhada a prática de atividade física imediatamente após as grandes refeições (almoço e jantar).

O cuidado com a alimentação continua após o término do treino ou da prova. Assim:

  • Tente incluir uma refeição tão logo a sua atividade termine. O ideal é que a atividade pós-exercício seja realizada nas duas primeiras horas após a prática. Caso seus horários não permitam incluir uma boa refeição após o treino, tenha sempre consigo uma barra de proteína, um sache de mel procure ingerí-los junto a sucos e iogurtes. Estes alimentos farão com que você aguarde o horário da refeição com mais tranqüilidade.
  • Após o exercício é sempre importante incluir alimentos com o índice glicêmico mais alto como pão branco, arroz, mel, sucos, frutas como melancia, banana. Associe a este carboidrato fontes e de proteínas como peito de frango, atum, queijos, peito de peru.
  • O consumo de módulos de proteína (Whey Protein, albumina), cápsulas de aminoácidos ou hipercalóricos pode estar ou não indicado dependendo de cada indivíduo.

Procure um  profissional habilitado e atualizado para um acompanhamento conforme suas necessidades, pois a alimentação visando resultados tem que ser INDIVIDUALIZADA!

Ah, danem-se os pelinhos grisalhos

Ambrosia.

Nham, nhammm.

Do grego, manjar dos Deuses do Olimpo.

Delícia irresistível.

A melhor que já comi está bem perto em um movimentando restaurante da cidade. Uma vez por semana, ao menos, reservo um dia para – depois do almoço – encher uma taça de sobremesa de inox até quase transbordar e entre uma colherada e outra lambuzar o bigode e a barba que insiste em me presentear com novos pelinhos grisalhos.

Hummmm.

Danem-se os pelinhos grisalhos.

Roga a lenda que o doce de divinal sabor tinha (ou tem) o poder de cura e se um mortal comum o comesse ele morreria. Diz a história que, quando os deuses o ofereciam a algum humano, este, ao experimentá-lo, sentia uma sensação de extrema felicidade.

Extrema felicidade. É exatamente isso que sinto toda vez que transbordo a taça de inox com o doce dos Deuses. E rio e fecho os olhos e só não grito e aplaudo de pé para não soar deslocado ou parecer um retardado querendo 15 segundos de fama gratuita.

– Deuses do Olimpo, obrigado por me conceder o privilégio de degustar este doce divinal sem que morra como um pobre mortal. Obrigado, obrigado e obrigado.

Tem mais:

O nome Ambrósio, que vem da mesma raiz, significa divino e imortal e segundo a mitologia grega, esse manjar divinal era tão poderoso ao ponto de ressuscitar qualquer um, bastando apenas que alguém pusesse em sua boca.

Uau!

Sexta-feira comemorou-se o Dia Mundial do Diabetes. Meu pai tem diabetes. Minha mãe fazia ambrosia. Não tão espetacular quanto esta que me faz lambuzar o bigode e os malditos pelinhos grisalhos da cara, mas, doce e, talvez, equivalente em divindade, se for me valer da história dos gregos.

Depois de ler sobre os sintomas, os fatores de risco e o que fazer para prevenir a diabetes, tive medo de, muito em breve, não poder mais repetir o ritual da ambrosia: transbordar a taça de inox, fechar os olhos na primeira colherada e lambuzar o bigode e os pelinhos grisalhos da barba regozijando-se de uma extrema e radiante felicidade.

Ai, será?

O que pensar se num rompante de insanidade resolvesse me levantar e aos gritos, com os braços erguidos e uma calorosa salva de palmas saudasse os deuses e as hábeis mãos responsáveis pela melhor ambrosia que já comi até hoje.

O que pensar?

E aqueles que não podem comer o manjar dos Deuses e talvez, virem o rosto do reservado a sobremesa só para não serem tentados pela textura, pelo brilho, pela coloração dourada da ambrosia convidando-lhes a se lambuzar e ultrapassar a tênue linha entre o certo e o errado, a emoção e a razão, o bem e o mal.

Sim, porque escolher entre comer ou não a divinal ambrosia do movimentado restaurante é decidir-se pelo bem ou pelo mal.

Será que ainda seria respeitado e considerado uma pessoa normal se argumentasse que a ambrosia, segundo a mitologia grega, era um manjar com tanto poder a ponto de ressuscitar qualquer um, bastando apenas que alguém pusesse o manjar na boca do morto.

Não, não e não.

Manterei o bigode e os indesejáveis pelinhos grisalhos da barba lambuzados pela melhor ambrosia que já comi até hoje, ao menos, até que meus receios quanto à diabetes não se tornem realidade ou eu resolva tomar vergonha na cara e comece urgentemente a praticar exercícios, alimentar-me bem, manter o peso correto e realizar caminhadas diárias.

Até lá, uma vez por semana. Obrigado, Deuses do Olimpo.

 

***

Reparou quantas vezes a palavra divinal aparece no texto? Quem achou um exagero e quase parou a leitura por conta disso, tem direito de repetir o “doce divinal” quatro vezes da próxima vez.

 

Só pra constar, talvez a taça nem precise ser de inox pro manjar ser dos Deuses.

{PET} Quantas vezes devo alimentar meu cachorro?

Essa é uma dúvida frequente dos proprietários. Quantas vezes posso alimentar meu cachorro e meu gato? Ou devo deixar que meu animal coma à vontade?

Geralmente os médicos veterinários recomendam alimentar cães e gatos duas vezes por dia, uma vez pela manhã e outra vez à noite. Filhotes até os seis meses de idade devem ser alimentados três vezes por dia, porém isso pode ter uma variação de acordo com a recomendação de cada médico veterinário. A porção de ração diária depende do porte e das exigências nutricionais de cada raça, devendo-se levar em consideração a idade do animal e a qualidade da ração. Naturalmente uma ração super Premium requer uma porção menor do que uma ração comum.

Muitos cães quando novinhos comem exageradamente tudo o que o dono coloca no comedouro. Isso parece ser “lindo”, porém faz mal à saúde. Se necessário, o proprietário deve ensiná-lo a comer em horários controlados.

É recomendável deixar a ração disponível no comedouro por 20 minutos, após esse tempo retirar a comida mesmo que ele não tenha se alimentado. Na refeição seguinte é necessário repetir o mesmo procedimento, dessa forma o animal aprenderá a comer nos horários corretos a ração fornecida.

A alimentação em horários regulares permite que o proprietário estabeleça uma rotina e monitoramento da saúde do seu pet. Dessa forma é possível identificar se o animal está se alimentando bem ou se está ocorrendo mudanças no apetite dele – normalmente a diminuição do apetite indica que ele não está bem. Consequentemente, o animal com horário para se alimentar também terá horários para fazer suas necessidades e para quem mora em condomínios e apartamentos isso é muito importante, pois facilita a vida do animal e do dono. Além de todos esses fatores, deixar o comedouro com ração ou sujo atrai insetos e roedores. Deve-se lavar os recipientes de água e comida todos os dias.

Outro beneficio é que oferecer a ração apenas na hora certa ajuda o cão a te respeitar, pois você mostra que está no comando. Regularidade das refeições traz benefícios para a saúde do animal e para o dono também.

 

Se tiver mais dúvidas sobre a alimentação do seu animal se informe com um Médico Veterinário!

Falsos Saudáveis | Entrevista com @mairactavares

A edição nº 15 da Revista Carpe Diem já está circulando na cidade e trouxe em suas páginas uma matéria muito importante, sobre os Falsos Saudáveis (página 12), que contou com a colaboração da educadora física e blogueira Maíra Tavares, nacionalmente conhecida pelo projeto #saudesqn (saúde só que não) no seu Instagram (@mairactavares).

A Maíra, além de ter um corpo maravilhoso para nos inspirar a pegar firme na dieta e exercícios, levantou uma questão que merece a atenção de todas nós sobre alimentação: os alimentos falsos saudáveis, que ao contrário do que se anuncia, são prejudiciais à nossa saúde. Para alertar seus seguidores do instagram, ela entrou no projeto #saudesqn, seguindo uma dieta com vários itens que a gente compra no mercado achando que está fazendo a escolha certa. Apesar de esses itens serem menos calóricos eles são falsos alimentos saudáveis, pois podem conter concentrações elevadas de açúcar, sódio ou gordura. Essa informação nem sempre é clara para o consumidor que, atraído pelo rótulo do produto, acredita estar optando por um item mais saudável. É preciso ficar atento ao rótulo de cada produto, principalmente às informações referentes a carboidratos, proteínas, gorduras, colesterol, fibra e sódio.

Entramos em contato com a Maíra e conseguimos uma entrevista exclusiva para o blog! Vamos conhecer mais sobre esses vilões disfarçados em pele de cordeiro e sobre o #saudesqn?

maira
Antes e depois da Maíra. Mesmo no corpo super malhado dela as diferenças são visíveis!

Como surgiu o projeto #saudesqn?
Surgiu em março deste ano com o intuito de alertar as pessoas sobre os alimentos frequentemente consumidos como saudáveis, pois observo que a alimentação está cada vez mais industrializada e consequentemente mais artificial e prejudicial à saúde. E da mesma forma que um dia eu também comprei esses produtos achando que era bom, sem saber o que continha na lista de ingredientes, percebia que a grande maioria das pessoas faz o mesmo.

Qual eram seu peso e medidas antes e depois do projeto?

O meu peso antes do projeto era 59,5kg e depois do projeto estava 59,8kg. A diferença de peso entre o início e o final do projeto não foi significativa e eu já esperava isso, afinal a maioria desses alimentos são pouco calóricos, mas com qualidade nutricional muito pobre e justamente por isso que a minha composição corporal mudou tanto: aumentei 7% no percentual de gordura, tive redução de 3,5kg de massa muscular e a hidratação corporal também diminuiu. Os exames laboratoriais também mostraram aumento de marcadores de alergia alimentar, além de alterações nos níveis de TSH, insulina e triglicerídeos.

De que era composta a sua dieta antes e durante o projeto #saudesqn?
Antes era composta de alimentos saudáveis e naturais. Durante o projeto #saudesqn eu passei a consumir pão integral, iogurtes (Danio, Grego, Activia, etc), queijos, requeijão, queijinho pasteurizado, barrinha de cereal e de nuts da Agtal, cereal matinal Nesfit, molho de tomate pronto, sal refinado, temperos prontos, sucos de caixinha, suco de soja Ades, cookies integrais, biscoito Club Social light e Nesfit, gelatina diet, entre outros.

Em qual parte do corpo você mais sentiu diferença com a inclusão dos falsos saudáveis?
Na barriga e celulites no bumbum e perna.

E quais problemas os falsos saudáveis causaram à sua saúde e disposição?
Este foi o desconforto maior, pois fiquei muito preguiçosa, desanimada sem vontade para praticar exercícios.

Quais alimentos que você considera mais enganadores entre todos os que têm o rótulo de “saudável”?
Os alimentos à base de soja, os que possuem açúcar e variações do açúcar, adoçantes como aspartame, produtos que se dizem integrais, mas são feitos com farinha de trigo que não é integral, os iogurtes de frutas que são cheios de açúcar, xarope de açúcar, açúcar invertido.

O pão integral você cita como um falso saudável. Por quê?
Porque não é integral, geralmente o primeiro ou segundo ingrediente que mais possui no pão integral é a farinha de trigo enriquecida com ácido fólico e isso não é farinha integral, sendo assim, esse produto não se caracteriza como integral.

Existe industrializado saudável?
Sim, claro. Eu consumo vários como: quinoa em flocos, amaranto, cacau em pó, chia, farinha de coco, óleo de coco, azeite extra virgem, manteiga Ghee, pasta la pianezza, macarrão (de arroz, de milho e de mandioca), barrinhas da Bio2 e Nutra Vita, creks da Chico Geraes, bolacha de arroz, pão sem glúten, etc.

maira1
Mesmo mantendo os exercícios o corpo dela perdeu definição, massa magra e o % de gordura aumentou

Qual falso saudável era constante no seu dia-a-dia durante o projeto e por quê?
Iogurtes Danio e Nesfit, consumia no café da manhã ou no lanche da tarde, pois é um lanche muito comum em dietas.

As pessoas realmente pensam que ao escolher um suco de caixinha ou um pão integral estão optando por um produto saudável, ao contrário de um refrigerante e um pão francês, por exemplo. Que tipo de opções elas têm para evitar esses falsos saudáveis, sem perder praticidade e mesmo assim consumir um alimento realmente saudável e saboroso?
A alimentação deve ser individualizada para ter chances de dar certo, então não há regra. Em minha opinião, se a prioridade de uma pessoa for praticidade, ela sempre irá ao mercado pegar um produto que já está pronto para o consumo. Mas se a escolha é saúde provavelmente haverá um empenho maior em comprar um ingrediente e preparar sua comida ou lanche. Dentre opções saudáveis e prática estão alguns dos industrializados que citei acima (ex: bolacha de arroz com pastinha la pianezza).

Quais ingredientes devem ser observados nos rótulos como prejudiciais à saúde e por quê?
Ler a lista de ingredientes é a única forma de saber o que comemos, é a única forma de fazermos escolhas conscientes, ou seja, de não sermos enganados pelas propagandas da indústria alimentícia. Comer ou não comer deve ser uma escolha consciente e não alienada, simplesmente por acreditar nas propagadas.
Tem um post no meu blog falando sobre leitura de rótulos AQUI.

595709295

A sua rotina de exercícios continuou a mesma?
Não, pois é impossível ter a mesma disposição para fazer um treino intenso com a alimentação que eu estava seguindo.

Qual foi a repercussão do seu projeto?
Muito maior do que eu imaginei, pois muitas pessoas citavam e marcavam amigos e familiares para acompanhar e ler as informações. Saiu reportagens em vários blogs e sites como o extra, R7, veja Rio, etc. Participei de uma matéria no jornal Fala Brasil da Record e no Programa da Eliana no SBT.

E que dicas você tem a dar para quem realmente quer buscar uma alimentação saudável de verdade?
Opte por alimentos simples e naturais, leve seus lanches e suas refeições caso passe muitas horas fora de casa. Evite produtos industrializados e caso recorra a eles, LEIA A LISTA DE INGREDIENTES antes de comprar, compare com produtos do mesmo gênero e compre o que apresentar uma lista menor. Por exemplo, na hora de comprar um iogurte você encontra opções com 22 itens na lista de ingredientes, enquanto outros possuem 2 ou 3 ingredientes apenas, claro que a segunda opção é muito menos artificial e menos prejudicial à saúde.

Obrigada Maíra pela disponibilidade. Quem quiser saber mais sobre ela é só seguir no insta @mairactavares e acessar o blog www.mairatavares.com.br

 

E fique atenta ao que você coloca no seu carrinho no supermercado!

Leia a matéria na Revista Carpe Diem!

Captura de tela 2014-09-24 10.34.15