Produtores rurais iniciam doações às prefeituras do Oeste da Bahia durante a epidemia do coronavírus

Teve início por Correntina a doação pelos produtores rurais dos materiais básicos para uso nos atendimentos hospitalares durante a epidemia do novo Coronavírus. Por meio da Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), foram entregues na última sexta-feira (27) as primeiras caixas de álcool, touca, óculos de segurança, luvas, papel toalha e lençol descartável, para proteger os profissionais e serem utilizados durante os atendimentos básicos para a população.

A secretaria de saúde, Maria de Lurdes Sodré, agradeceu a entrega dos materiais que serão fundamentais para cuidar da saúde dos correntinenses. “Próximo ao aniversário da nossa cidade, esta é uma ajuda muito importante neste momento de combate ao coronavírus. Existe uma falta grande destes produtos no mercado. Estes materiais chegaram em uma hora muito boa aqui na nossa cidade”, afirma, ela que representou durante o prefeito de Correntina, Nilson Ferreira no ato da entrega, que contou com a participação do diretor executivo da Abapa, Lidervan Morais.

O presidente da Abapa, Júlio Cézar Busato, explica que, logo depois da aprovação da diretoria para a aprovação do recurso, a entidade colocou à disposição desta ação o setor de compras e logística para a aquisição destes materiais. “À medida que avançamos na compra, os produtos já estarão sendo doados de forma rápida até por conta da situação de avanço de casos de contágio possibilitando que os profissionais de saúde possam atender a população adequadamente durante a pandemia”, explica.

Busato reforça ainda que o setor agrícola tem se demonstrado solidário ao promover uma série de ações de doação e apoio à sociedade por meio das fazendas e agricultores em todo o Brasil. Os produtores rurais, por meio da Abapa, destinaram um total de meio milhão de reais para a aquisição destes materiais, neste primeiro momento, para as prefeituras da área de atuação do setor agrícola no Oeste da Bahia.

Assessoria de Comunicação da Abapa/ 30/03/2020

Abapa promove visitas técnicas para continuar avançando na sustentabilidade do algodão na Bahia

Com o objetivo de continuar avançando com a sustentabilidade na produção de algodão, a Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa) começou a promover desde o início deste ano as vistorias junto às propriedades para checar a adoção dos critérios de sustentabilidade para a safra 2019/2020. Esta é a primeira etapa do trabalho de certificação desenvolvido pelo programa Algodão Brasileiro Responsável (ABR), designado pela Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa) que atua em benchmarking com a entidade suíça Better Cotton Iniciative (BCI). Desde quando foi iniciado o programa ABR na Bahia, em 2011, a área classificada como sustentável saiu de 21,1% para os atuais 77,7% no Oeste da Bahia.

A expectativa é ultrapassar os 77,7% da área plantada da fibra que obteve a certificação na safra passada, contabilizando uma área total de 247.840 mil hectares, que vem cumprindo à risca a legislação ambiental e adotando critérios de sustentabilidade dentro e fora das propriedades. A coordenadora do programa de sustentabilidade ABR/Abapa, Bárbara Bonfim, explica que a previsão é que esta primeira etapa do trabalho, que também incluiu a adesão e preparação de novos produtores para receberem a auditoria externa, deve ser finalizada até o próximo mês de abril. “As nossas equipes testam um total de 222 itens com parâmetros de sustentabilidade internacionais, ligado ao respeito dos trabalhadores no campo, a exemplo do cumprimento de normas de saúde e segurança; e da legislação trabalhista e de preservação de meio ambiente”, afirma.

Segundo o presidente da Abapa, Júlio Cézar Busato, existe um engajamento dos produtores de algodão, que além de serem referência no emprego de tecnologia e na qualidade da fibra, também vem sendo reconhecido como sustentável pelo mercado consumidor. “Demonstramos que estamos no mesmo patamar de excelência do que os produtores concorrentes da Austrália e dos Estados Unidos, com o diferencial da qualidade, proporcionado pelo clima chuvoso no início da semeadura, e seco, na fase final da colheita, além do uso de tecnologia adequada no monitoramento e combate a pragas como o bicudo do algodoeiro”, explica.  O programa ABR tem como alicerce o incremento progressivo das boas práticas sociais, ambientais e econômicas nas unidades produtivas de algodão na Bahia e em todo o Brasil, por meio das entidades ligadas à Abrapa.

 Assessoria de Imprensa da Abapa / 16/03/2020

1º Seminário Mulheres do Agro discute os desafios do associativismo feminino, na Bahia Farm Show

Dezenas de mulheres que estão direto ou indiretamente envolvidas com o cenário do agronegócio se reuniram, nesta quinta-feira (30), no primeiro 1º Seminário Mulheres do Agro, com o tema “Mulher em Ação”. O evento foi aberto no auditório da Fundação Bahia, com a presença do presidente da Bahia Farm Show, Celestino Zanella. A programação uniu palestras sobre associativismo e o poder da ação para mudança de vida, com foco no público feminino.

“A Bahia Farm Show nasceu pequena, foi criando formas e ganhando espaço e trazendo inovação. Durante alguns anos, tivemos o chá das mulheres, que foi substituído por este seminário. Vejo, pela presença do público, que a mudança deu muito certo. Tenho certeza que nós continuaremos atuando para fazer a diferença na nossa região”, disse Zanella.

A coach Tudy Vieira trouxe dinâmicas e ensinamentos para orientar as participantes sobre a mudança de atitude, o autoconhecimento e ações para obter resultados e percorrer um caminho de sucesso. “Hoje eu faço um convite para que as mulheres reflitam um pouco sobre o que é o mais importante na vida, de onde estamos e onde queremos chegar. O segredo do sucesso está na ação, mas na ação de uma forma consistente”, enfatizou Tudy.

Participando ativamente das dinâmicas propostas, a gestora de recursos humanos, Maria Gabriela Zuttion aprovou as temáticas. “Muitas mulheres querem ter o seu papel reconhecido no agronegócio e muitas vezes não é, mulheres que participam não só em seus cargos de gestão dentro das empresas, mas também em casa. A mulher que dá o apoio ao homem que vai ao campo também é do Agro. Então, todas elas têm importante papel para que o agronegócio se desenvolva na região”, concluiu.

A produtora rural Ângela Francisca finalizou o ciclo do dia contando suas experiências de vida como cadeirante, estudante e incentivadora do desenvolvimento da cadeia do leite e das práticas associativistas, em Wanderley, oeste da Bahia, por meio da Associação dos Produtores de Leite e Culturas Irrigadas do Oeste da Bahia – Proleite. As mulheres também participaram do sorteio de presentes, brindes e ingressos para cursos e eventos voltados ao universo feminino.

Araticum 30/05/2019

 SERVIÇO:
Bahia Farm Show 2019

Data: 28 de maio a 01 de junho
Local: Complexo Bahia Farm Show: BA 020/242, km 535 – Luís Eduardo Magalhães – Bahia
www.bahiafarmshow.com.br

Bahia Farm Show 2019 confirma grade de palestras e debates para o setor agrícola

Durante cinco dias, a feira agrícola disponibilizará um total de 35 atividades de conhecimento, distribuídas em três espaços

Além das máquinas e equipamentos agrícolas, que impressionam pelo tamanho e modernidade, a Bahia Farm Show 2019 também será marcada pela difusão de conhecimento e pelo debate de temas importantes para o desenvolvimento do setor agrícola. Durante cinco dias, entre 28 de maio e 1 de junho, o Complexo Bahia Farm Show vai abrigar uma programação diversificada e atual com 35 palestras e debates para atender a demanda e os anseios de agricultores, gerentes e técnicos de fazendas, pesquisadores, consultores, estudantes e profissionais envolvidos diretamente no agronegócio da área de abrangência do Matopiba (fronteira agrícola que compreende os estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia).

A programação da edição comemorativa de 15 anos começa oficialmente na quarta-feira (29) com o tradicional “Fórum do Canal Rural”, das 14h às 16, transmitido ao vivo, que vai debater o tema “Plantio Direto como Vetor da Agricultura Sustentável”. A Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), entidade organizadora da Bahia Farm Show, vai trazer, de forma inédita, em sua edição comemorativa o “1º Seminário Mulheres no Agro”, que será realizado na quinta-feira (30), às 14h, no auditório da Fundação Bahia, cujas vagas já foram preenchidas. Na sexta-feira (31), será a vez da palestra com uma personalidade e incentivador do setor agrícola brasileiro, o ex-ministro da agricultura e agrônomo graduado pela Esalq/USP, Roberto Rodrigues, que vai trazer toda a sua “expertise” para explanar sobre “O cooperativismo para o Desenvolvimento do Agronegócio”. Rodrigues também é embaixador especial da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO/ONU).

As atividades serão distribuídas em três espaços dentro do Complexo Bahia Farm, no auditório da Fundação Bahia, e em outros dois localizados no pavilhão coberto, com capacidade para 40 e 60 pessoas. No dia da abertura, na terça-feira (28), a feira agrícola sedia mais uma vez uma sessão da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), que vai permitir aproximar as demandas da agricultura, principalmente do Oeste da Bahia, junto aos deputados estaduais. O evento também recepciona o “Seminário Soja Plus”, organizado na quinta-feira (30) em parceria entre a Aiba e Abiove, que vai reforçar sobre a importância da classificação de grãos para o produtor rural; e a 6ª Semana de Agronomia da Universidade do Estado da Bahia (Uneb). Temas de interesse direto do agricultor como Funrural, Incidência de ICMS nas faturas de energia e Documento Legal dos Imóveis Rurais também entram na pauta da feira agrícola.

DCIM100MEDIADJI_0048.JPG

Para a coordenadora da Bahia Farm Show, Rosi Cerrato, a programação de palestras e debates se fortaleceu e cresceu ao longos dos 15 anos. “Hoje, é impossível pensar na feira sem estes espaços de discussão e interação, que também consolida a Bahia Farm como uma grande difusora de conhecimento para o setor agrícola. Muitos aproveitam este momento para estabelecer uma rede de contatos e o intercâmbio de informações para contribuir com o desenvolvimento do seu negócio no campo”, afirma.

Também se destacam na programação temas como “Precificação da Soja e do Algodão”, com a consultoria INTL FCStone; “Liderança e Propósito na Sucessão Familiar”, com o palestrante Marinho Hermes, da Dale Carnegie Treinamentos; e “Segurança no Campo” com o Coronel da Polícia Militar da Bahia, Paulo Uzêda. Para acesso aos auditórios e visitação à feira, é cobrado um ingresso no valor de R$ 15,00, sendo 20% revertida para o Hospital do Oeste, dentro do projeto “Ingresso Solidário”. A programação oficial de palestras e debates da Bahia Farm Show 2019 pode ser acessada diretamente no site: https://bahiafarmshow.com.br/grade-de-palestras/

Araticum 20/05/2019

 

 SERVIÇO:

Bahia Farm Show 2019

Data: 28 de maio a 01 de junho

Local: Complexo Bahia Farm Show: BA 020/242, km 535 – Luís Eduardo Magalhães – Bahia

www.bahiafarmshow.com.br

Governo do Estado garante presença na edição de 15 anos da Bahia Farm Show

O Governo do Estado confirmou, mais uma vez, a sua presença na Bahia Farm Show, que será realizada no final do mês, entre os dias 28 de maio e 1º de junho, em Luís Eduardo Magalhães, no Oeste da Bahia. A Secretaria de Agricultura (Seagri), Instituto de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) e a Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE) estarão presentes, por meio de estande institucional, na maior feira de tecnologia agrícola do Norte/Nordeste do Brasil. A confirmação aconteceu durante missão oficial da organização do evento, na última terça-feira (30), em Salvador, que contou com a presença do vice-presidente da Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), Odacil Ranzi, e da coordenadora da Bahia Farm, Rosi Cerrato.

Durante a visita ao vice-governador, João Leão, ele, que também é titular da SDE, anunciou o incentivo destinado pela pasta à Bahia Farm Show e garantiu que estará presente mais uma vez na abertura da feira, classificada por ele de ‘principal vitrine agrícola da Bahia’. “O governo do Estado sempre participou deste importante evento, com representantes de vários órgãos e autarquias, mas esta será a estreia da SDE na Bahia Farm Show. Como titular da pasta, fiz questão de termos uma representatividade em uma feira que alavanca a economia de uma região, contribuindo com o PIB do Estado. Isso é Desenvolvimento”, comentou. A secretaria terá um estande, onde será destacado o trabalho das indústrias.

Durante a feira agrícola, a Secretaria de Agricultura e o Inema também vão demonstrar os trabalhos desenvolvidos em parceria com os agricultores baianos, a exemplo do “Estudo do Potencial Hídrico do Oeste”, desenvolvido pela Universidade Federal de Viçosa e Universidade de Nebraska, visando mensurar a disponibilidade hídrica das águas superficiais e subterrâneas da região.

Quem também confirmou presença na Bahia Farm Show 2019 foi a Agência de Fomento do Estado da Bahia (Desenbahia), que está presente desde a primeira edição do evento. Com linhas de financiamento específicas para o agronegócio, a Desenbahia está preparando para a edição de 15 anos da Bahia Farm condições especiais de crédito para os produtores rurais, com ênfase em projetos de irrigação, armazenagem, máquinas, insumos, correção de solo, energia fotovoltaica e inovação. A perspectiva é que a agência baiana supere a cifra de R$ 400 milhões disponibilizados de crédito na última edição.

Para o vice-presidente da Aiba e da Bahia Farm Show, Odacil Ranzi, esta parceria do governo do Estado tem sido fundamental para garantir o crescimento gradual da feira nos últimos 15 anos. “As entidades dos agricultores baianos mantêm uma parceria sólida em projetos, visando o crescimento sustentável gerando riqueza e renda por meio da produção agrícola no campo. Essa presença das secretarias e dos representantes do governo do Estado, por meio dos estandes institucionais e também nos debates, eleva ainda mais a importância da Bahia Farm como uma das principais feiras do País, e reforça a união em torno do setor produtivo”.

Também durante a missão na capital baiana, os representantes da Aiba debateram junto aos técnicos da Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI) a possibilidade de assinatura de um protocolo de intenções durante a Bahia Farm Show entre os governadores da Bahia e do Tocantins para pôr fim ao imbróglio relacionado à demarcação dos limites territoriais entre os estados.  Na edição comemorativa dos 15 anos, a Bahia Farm também vai abrir espaço chamado de “Ilha da Segurança”, onde órgãos ligados ao governo do Estado – Polícia Militar, Civil, Corpo de Bombeiros, Graer – estarão presentes para demonstrar as tecnologias que vêm sendo empregadas para garantir a segurança pública em toda a Bahia.

Araticum 07/05/2019

 SERVIÇO:

Bahia Farm Show 2019

Data: 28 de maio a 01 de junho

Local: Complexo Bahia Farm Show: BA 020/242, km 535 – Luís Eduardo Magalhães – Bahia

www.bahiafarmshow.com.br

Agricultores continuam o trabalho de recuperação de nascentes no Oeste da Bahia

Lançado oficialmente em julho do ano passado, e com um aporte de cerca de R$ R$ 570.000 mil, o projeto realizado pela Abapa/Aiba identificou 220 nascentes, diagnosticou 77 e protegeu 37 nascentes em 9 municípios do Oeste da Bahia.

No mês de comemoração do Dia Mundial da Água, os agricultores baianos continuam trabalhando na recuperação e proteção de nascentes no oeste da Bahia. Por meio da Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa) e da Associação de Agricultores, Irrigantes da Bahia (Aiba), em parceria com a Secretaria de Meio Ambiente de Barreiras (Sematur), eles promoveram na última semana, nos dias 14 e 15, mais um curso que culminou na recuperação de uma nascente de rio na localidade da Tabua da Água Vermelha, em Barreiras. Também na última semana, entre os dias 11 e 13 de março, o mesmo curso foi ministrado em Baianópolis, e no próximo mês, acontecerá junto aos técnicos da área ambiental e moradores de Riachão das Neves.

Lançado oficialmente em julho do ano passado, e com um aporte de cerca de R$ 570.000,00, o projeto identificou 220 nascentes, diagnosticou 77 e recuperou ou protegeu 37 nascentes em 9 municípios do Oeste da Bahia. A ação conta com o apoio do Instituto Brasileiro do Algodão (IBA). Juntamente com outros 35 inscritos do curso, o morador da Tábua, José da Silva Souza, participou diretamente da proteção da nascente que fica ao lado da sua casa. “A gente sempre usou a água do povoado, mas depois deste trabalho, mesmo com a chuva, a água continua saindo limpinha”, mostra ele, que mantém em sua propriedade o “veio d´água’ que percorre cerca de 15 km para beneficiar ainda os moradores de localidades como Bebedouro e Canabrava.

Desta nascente, brota 9200 litros do aquífero que pode vir a atender cerca de 230 pessoas diariamente. Durante o curso, os integrantes diagnosticaram toda a área e definiram pelo uso da técnica “Caxambu” que protege o afloramento do lençol por meio uma cobertura construída naturalmente com pedra e argila, evitando o acesso deste afloramento do pisoteio do gado e do assoreamento com terra carregada pelas chuvas. “Além de proteger, esta é uma das técnicas que beneficia diretamente as pessoas do entorno da nascente. Mesmo com a chuva, a água continua saindo limpa e pode ser utilizada de forma segura pelos moradores e seguir o seu curso normal para beneficiar quem precisa de água perene e potável”, explica o agrônomo Renato Rios, responsável pelo treinamento.

O secretário de meio ambiente de Barreiras, Demósthenes Júnior, reforça a importância da parceria com os agricultores por meio da Abapa e da Aiba, que tem sido fundamental para desenvolver este trabalho. “Dentro deste projeto, somente em Barreiras, temos 50 identificadas, 20 diagnosticadas e 8 recuperadas, e este é o segundo treinamento com técnicos, e desta vez, incluímos a grupo do exército para reunir todos os apoios para impulsionar o projeto e proteger de forma concreta e segura os recursos hídricos das bacias hidrográficas da nossa região” afirma o secretário, que também é o presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Grande.

Ao verificar de perto os resultados deste trabalho, o presidente da Abapa, Júlio Cézar Busato, mantém a confiança da importância deste investimento por parte dos produtores rurais da região que estão cada vez mais preocupados com os recursos hídricos e com o meio ambiente. “Além do projeto da recuperação das nascentes, estamos apoiando um estudo do potencial hídrico do oeste da Bahia como forma de mensurar a disponibilidade hídrica das águas superficiais em um projeto coordenado pela Universidade Federal de Viçosa e da Universidade de Nebraska, nos Estados Unidos, e Governo do Estado. O uso de tecnologia de ponta na agricultura, elevando a produtividade, respeito à legislação ambiental e o uso sustentável da terra e dos recursos hídricos garante para toda a sociedade o quando os agricultores baianos estão comprometidos com o meio ambiente”, afirma.

 

 

Assessoria de Imprensa da Abapa 19/03/2019

Abapa e Aiba presentes na Fenagro 2018, em Salvador

O agronegócio do Oeste da Bahia está presente na 31ª  edição da Fenagro, em Salvador, evento que acontece de 24 de novembro a 02 de dezembro, no Parque de Exposições da capital baiana. No domingo (25) a abertura oficial reuniu autoridades e representantes da cadeia produtiva do Estado. Os presidentes da Abapa, Júlio Busato e da Aiba, Celestino Zanella participaram da solenidade, comanda pelo vice-governador da Bahia, João Leão, compondo a tribuna de honra.

No seu pronunciamento, Zanella destacou a importância da Fenagro para divulgação do trabalho realizado em prol do agronegócio do oeste baiano e aproveitou para convidar os presentes para o lançamento da Bahia Farm Show 2019, agendada para o período de 28 de maio a 01 de junho, em Luís Eduardo Magalhães. “A Fenagro tem sido para nós um momento para trocar experiências e mostrar o resultado da atividade agrícola da região oeste. Como já se tornou uma tradição, inserimos na programação da Fenagro, na terça-feira (27), o lançamento da Bahia Farm Show 2019, a maior feira de tecnologia agrícola e negócios do Norte/Nordeste do Brasil”, disse.

Durante o período da Fenagro 2018 as associações estarão, com um estande demonstrando detalhes e informações sobre a agricultura praticada no oeste do Estado. A equipe técnica presente oferece, a estudantes, pesquisadores e demais visitantes dados e números do agronegócio regional e socializa projetos e pesquisas desenvolvidas para a melhoria e lançamentos de novas variedades de cultivares. O espaço disponibiliza ainda material gráfico e a descontração das mascotes ‘Dão” e “Emílio”, representando as comodities algodão e milho, respectivamente.

“Durante a Fenagro estaremos com uma vasta agenda de reuniões, encontros e audiências junto aos órgãos públicos e empresas. É uma oportunidade de fortalecer parcerias e traçar novas”, disse o presidente da Abapa Júlio Busato que, durante toda a manhã desta segunda-feira (26), participou de uma reunião sobre os resultados do estudo do potencial hídrico no Oeste, realizado pelas duas associações e as universidades Federal de Viçosa (MG) e de Nebraska, nos Estados Unidos.

Bahia Farm Show – O lançamento da 15ª edição da Bahia Farm Show aconteceu na terça-feira (27), às 19h no auditório da Seagri, no Parque de Exposições de Salvador. Na ocasião, também foi lançada a 3ª edição da Cartilha sobre Regularização Ambiental de Propriedades Rurais no Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia). A publicação é aguardada com entusiasmo por profissionais, pesquisadores e estudantes de cursos agrotécnicos, pois traz esclarecimentos sobre o cumprimento das legislações ambientais vigentes. Os exemplares serão distribuídos gratuitamente no evento.

Araticum Comunicação –26/11/2018

Maior prova de corrida de rua é realizada no oeste da Bahia

A Corrida do Algodão, realizada pela Abapa, reuniu cerca de 1.000 atletas de diferentes estados brasileiros em um prova onde a superação e a alegria deram o tom

Luís Eduardo Magalhães, no oeste da Bahia foi sede pelo segundo ano, da maior prova de corrida de rua que a região já viveu: a Corrida do Algodão, realizada pela Associação Baiana dos Produtores do Algodão (Abapa), no sábado (29).  O evento uniu, em um momento único, a leveza do algodão com a habilidade de atletas profissionais, amadores, cadeirantes, crianças, pais e mães, todos, percorrendo percursos pré definidos em busca de um ideal: a superação.
“É indescritível a emoção que senti, ali, na linha de chegada, entregar medalhas a pessoas cansadas, sentindo dor, sem fôlego, mas, entusiasmadas. E só posso dizer que ‘superação’ é a palavra que define este evento. Ao viver tudo isso, me sinto na obrigação de pedir aos nossos cotonicultores para que, se superem. Acabamos de colher a maior safra da história da Bahia, foram mais de 1,2 milhão de toneladas de algodão. Agora, precisamos tomar o exemplo desses homens, mulheres, crianças e cadeirantes, e assumir o compromisso de nos superar a cada nova safra, a cada novo ano”, disse o presidente da Abapa, Júlio Cézar Busato.  
A Praça do Jardim Paraíso, local do evento acolheu atletas e milhares de pessoas que foram prestigiar o evento, regado ao som da música eletrônica sob o comando do DJ Charles e do ritmo contagiante da baianidade de Bosco Fernandes. Academias, empresas de saúde e expositores do segmento do agronegócio associaram suas marcas e produtos à Corrida do Algodão. Teve ainda um espaço gourmet com uma diversidade de guloseimas, lanches e bebidas para refrescar o calor característico do oeste baiano.
A prova de abertura foi realizada pelas crianças que deixaram o circuito mais colorido, correndo ao lado de pais, tios, avós. A alegria na chegada era a marca registrada da garotada. “Essa prova foi incrível, comecei a correr incentivada pela minha mãe e cheguei entre os primeiros”, disse, orgulhosa a pequena Geovanna Cirilo, de 8 anos, que competiu acompanhada pela mãe, Ana Lídia Cirilo, que logo depois, enfrentou ainda a prova dos 5km. “Cada ano este evento está melhorando, se tornando tradição na região’, descreveu Ana Lídia.
Para os cadeirantes, que largaram logo depois das crianças, a prova foi de pura força de vontade e muita garra. Participando pela primeira vez, Silvana Guimarães, chegou em quarto lugar, ela, foi de Barreiras, com outros cadeirantes, disputar a corrida. A colocação foi o que menos importou para a atleta. “Eu vim para compartilhar um evento de socialização e principalmente, de inclusão. Tudo aqui foi organizado pensando no ser humano, isso é sensacional, estamos aqui para celebrar a vida”, disse, feliz ao receber sua premiação.
A prova mais esperada do dia mobilizou cerca de 100 pessoas envolvidas diretamente na segurança e no bem estar dos atletas durante todo o percurso que cortou ruas e avenidas da cidade. Nas categorias feminino e masculino, a disputa foi acirrada e no final, medalhas para todos. Na categoria livre de 5km e 10 km, foram distribuídos R$ 15 mil em dinheiro e troféus. “Fiquei impressionado com a organização do evento, compatível a grandes corridas que já competi no Brasil”, disse o vencedor dos 5Km, Ronaldo Lopes, que veio de Brasília (DF) para conquistar o primeiro lugar no pódio, Ele aproveitou o momento para deixar um recado. “No próximo ano, voltarei para defender o título”.
Quem era ‘só sorrisos’ foi a vencedora dos 10 km no feminino, Cruz Nonata da Silva, também de Brasília. Segundo ela, que já tem na bagagem o quarto e quinto lugares em provas da São Silvestre, no Rio de Janeiro e é medalhista dos Jogos Pan Americanos em Guadalajara, no México, correr é vencer desafios diários. “Estou sem patrocínio, mas jamais vou desistir do meu objetivo que é correr e ganhar. Penso que todas as pessoas deveriam começar nesse esporte, mesmo que por lazer, porque certamente, verão uma mudança nas suas vidas”, incentivou a campeã.
Para a organizadora geral do evento e diretora da Abapa, Alessandra Zanotto, a prova é resultado de muita dedicação e comprometimento. “Pelo segundo ano cruzamos a linha de chegada da Corrida do Algodão, um evento pensado e planejado com muito carinho e principalmente, com todo o cuidado e respeito que os atletas merecem. Este evento obedeceu às normas técnicas e de segurança das principais provas realizadas no Brasil. Contamos com o apoio de muita gente, patrocinadores, apoiadores e uma equipe séria e comprometida que doou todo o seu talento, sem medir esforços. Estão todos de parabéns. Sou extremamente grata a cada um”, disse.

Os resultados oficiais da corrida, com o tempo de cada atleta estão disponíveis no link 
http://www.oestechip.com.br/corridadoalgodao/index.htmlA Corrida do Algodão é realizada pela Abapa com o apoio do Instituto Brasileiro do Algodão (IBA), Fundeagro e Prefeitura de Luís Eduardo Magalhães. Conta com o patrocínio das empresas: Agrosul – John Deere, Unicot, CCAB Agro, Basf, Girassol Agrícola, Sudotex, J&H Sementes, Nufarm, Ciaseeds, Maxum Case, Bayer, Kasuya Consultoria, Eisa Interagrícola, FMC, Zanotto Cotton, Fama Motors, Corteva, Alfatrans e Syngenta. A organização é da Adoro Produtora e assessoria técnica, da VO2. 
 Assessoria de imprensa da Abapa – 02.10.2018
Confira algumas imagens da Corrida do Algodão:

UniAGRO adere ao Pacto Empresarial Pela Integridade e Contra a Corrupção e poderá ser a primeira empresa do ramo a conquistar o Selo Agro + Integridade

O melhor atendimento ao cliente, a transparência e credibilidade em seus negócios são itens levados muito a sério pela UniAGRO, empresa distribuidora de uma ampla linha de insumos e serviços agrícolas da mais alta qualidade e tecnologia, que atende aos estados da Bahia e Tocantins. E, para dar mais um grande passo rumo à afirmação destes propósitos, a empresa aderiu ao Pacto Empresarial pela Integridade e Contra a Corrupção, se tornando a única representante do agronegócio entre os 24 signatários do pacto na Bahia.

O Pacto, iniciativa do Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social, foi criado para unir empresas com o simples objetivo de promover um mercado mais íntegro e ético visando erradicar o suborno e a corrupção. Ao se tornarem signatárias do pacto, as empresas assumem o compromisso de divulgar a legislação brasileira anticorrupção para seus funcionários, a fim de que ela seja cumprida integralmente. Além disso, todas se comprometem a barrar qualquer tipo de suborno, formando uma sociedade transparente, consciente e justa.

Os compromissos assumidos pelas signatárias do Pacto são monitorados anualmente, com intuito de atribuir visibilidade e clareza às práticas empresariais, fortalecendo o próprio Pacto. Além de contribuir para a sustentabilidade do país, ao adotar as medidas de promoção da integridade e da ética, a UniAGRO estará, de fato, contribuindo positivamente contra os atos de corrupção que assolam o país. O Pacto é um compromisso voluntário, que pode ser assumido por empresas privadas e públicas. Todas as instituições que aderem a ele tem seus nomes apresentados no seguinte endereço eletrônico: https://www3.ethos.org.br/conteudo/signatarios-do-pacto-empresarial-pela-integridade-e-contra-corrupcao/.

Passando por um excelente momento de crescimento, a UniAGRO agora está adequando-se para conquistar o Selo Agro + Integridade, que integra as etapas e requisitos a serem cumpridos no Pacto Empresarial. Este selo tem como objetivo a conscientização das empresas do agronegócio sobre seu relevante papel no enfrentamento às práticas da corrupção e antiéticas. A sustentabilidade é um ponto com grande destaque na etapa, já que o selo estimula a implantação de um programa nessa diretriz. A gestão da integridade é um requisito exigido para a habilitação da empresa, que precisa comprovar possuir um eficiente programa de compliance. Assim, todas as empresas participantes do Pacto deverão comprovar o comprometimento de gestão, o código de conduta divulgado e a realização de treinamento de temas relacionados à integridade.

Um dos responsáveis pelas mudanças que estão acontecendo internamente na UniAGRO é o profissional Paulo Bonatelli, Diretor Administrativo Financeiro da empresa e Especialista em Gestão. Para ele, este é o momento certo para a adesão da UniAGRO ao Pacto, sendo o selo tão importante e necessário para o agronegócio. “A UniAGRO estava ficando pronta há algum tempo e agora, com toda a adequação e os treinamentos feitos para nossa equipe, foi possível aderir ao Pacto Empresarial e colocar ainda mais em evidência aquilo que já praticamos há um bom tempo”, disse.

Com essas adequações e o cumprimento das exigências do Pacto Empresarial Pela Integridade e Contra a Corrupção, a UniAGRO pretende mostrar o seu trabalho de maneira franca e íntegra, além de comprovar que não é apenas uma célula comercial, indo muito além disso, prezando pelo seu cliente, pelos seus colaboradores e pela sociedade em que atua.

 

ASCOM UNIAGRO | Agência Immagine

Otimismo na safra gera busca por mais tecnologia em Dia de Campo do Algodão na Bahia

A conjuntura positiva da safra de algodão na Bahia que, pelo segundo ano consecutivo, vai atingir produtividade média acima de 300 arrobas/hectare, vem incentivando os agricultores a manter o uso de tecnologia e manejo adequados no campo. Em meio à colheita da segunda melhor safra de algodão no estado, a Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), Fundação Bahia e Embrapa, realizaram no último sábado (7), em Luís Eduardo Magalhães (BA), o tradicional Dia de Campo do Algodão. Cotonicultores, consultores, profissionais e estudantes da área se aprofundaram em temas que visam incrementar a produtividade no campo e buscar maior qualidade da fibra para o mercado consumidor. A Bahia é o segundo maior produtor de algodão do Brasil e prevê uma colheita de 1,2 mil toneladas na safra 2017/2018, sendo 481 mil toneladas em pluma.

Considerado o principal evento técnico de algodão na Bahia, o Dia de Campo apresentou cerca de 20 diferentes variedades de algodão disponíveis no mercado, a exemplo de cultivares transgênicas para as áreas de refúgio; resistentes à pragas e doenças como nematoides, ou aquelas que focam na qualidade da fibra e em características ideais para a indústria têxtil. Ao percorrer as estações montadas no Campo Experimental da Fundação Bahia, o cotonicultor Douglas Di Domenico, aproveitou para saber mais sobre as novidades para a cultura do algodão para investir na próxima safra agrícola. “O Dia de Campo é a oportunidade de atualização das principais cultivares e de técnicas que visam melhores resultados”, afirma, ao prometer voltar no próximo ano.

Da área de comercialização e qualidade da fibra, os participantes conferir as palestras “Como agregar valor na fibra de algodão”, com o coordenador de algodoeiras da SLC Agrícola, Edmilson Santos; e “Comportamento das Cultivares de Algodão do Mercado”, com o pesquisador Dr. Eleusio Curvelo Freire, da Cotton Consultoria Empresas Públicas. Presente ao Dia de Campo com um grupo de nove acadêmicos, a professora do curso de Agronomia da Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB), Mirian Nogueira, pretende renovar o conhecimento técnico sobre a cultura do algodão. “Há um avanço constante em cultivares, manejos e pesquisas que, para quem atua ou atuará no setor agrícola, é preciso acompanhar”, afirma ela, ao elogiar a organização do evento.

Da área de defesa fitossanitária, o Dia de Campo do Algodão também trouxe novidades sobre “O Impacto Econômico da Spodoptera no Algodão com o Dr. Geraldo Papa, da Unesp/SP. Quem passou pelo Dia de Campo, também presenciou a demonstração e informações sobre os usos e benefícios dos drones na agricultura. Para Zirlene Zuttion, presidente da Fundação Bahia, o Dia de Campo do Algodão é o momento em que são reunidas todas as tecnologias ligadas à produção da pluma. “É um dia de intercâmbio e troca de experiências entre os próprios cotonicultores e com as empresas que investem em novas tecnologias e avaliam os resultados destas variedades e formas de manejo para incrementar a produtividade na lavoura”.

 Conjuntura – Na abertura do evento, o presidente da Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), Celestino Zanella, citou as ações que vem sendo desenvolvidas pelas entidades agrícolas para garantir a competitividade e rentabilidade do produtor, a exemplo dos programas fitossanitário da soja e do algodão, Operação Safra, e da busca de soluções de logística junto ao Estado. Para o presidente da Abapa, Júlio Cézar Busato, “é necessário unir forças para avançar nas questões que estão fora da fazenda, como logística, segurança física e jurídica das fazendas, além das questões fundiária, fitossanitária e ambiental. Todo este cenário deve ser favorável para que os agricultores possam continuar produzindo com técnica e qualidade para obter rentabilidade no campo, o que vem sendo prejudicado por cobranças e burocracia ineficientes”, afirma.

Busato reforçou, durante a abertura do Dia de Campo do Algodão, sobre a boa conjuntura vivenciada pelos cotonicultores baianos, que depois de quatro safras com poucas chuvas e baixa produtividade, voltaram a contar com produção e o preço favoráveis. Aos poucos, será retomada a capacidade instalada de 400 mil hectares de produção no oeste da Bahia, e vamos resgatar a riqueza perdida e os empregos que foram suspensos com a estiagem evidenciando a importância do algodão para a região”, reforçou Busato.  Com a previsão da regularidade do ciclo de chuvas e da cotação do mercado, a próxima safra de algodão já prevê um crescimento de área, saindo dos 263 para 300 mil hectares. A atual safra de algodão da Bahia deve abastecer principalmente a indústria têxtil brasileira, sendo o restante dela, cerca de 40%, destinada para o mercado externo para os países asiáticos.

Assessoria de Imprensa Abapa – 09/07/2018