Produtores rurais iniciam doações às prefeituras do Oeste da Bahia durante a epidemia do coronavírus

Teve início por Correntina a doação pelos produtores rurais dos materiais básicos para uso nos atendimentos hospitalares durante a epidemia do novo Coronavírus. Por meio da Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), foram entregues na última sexta-feira (27) as primeiras caixas de álcool, touca, óculos de segurança, luvas, papel toalha e lençol descartável, para proteger os profissionais e serem utilizados durante os atendimentos básicos para a população.

A secretaria de saúde, Maria de Lurdes Sodré, agradeceu a entrega dos materiais que serão fundamentais para cuidar da saúde dos correntinenses. “Próximo ao aniversário da nossa cidade, esta é uma ajuda muito importante neste momento de combate ao coronavírus. Existe uma falta grande destes produtos no mercado. Estes materiais chegaram em uma hora muito boa aqui na nossa cidade”, afirma, ela que representou durante o prefeito de Correntina, Nilson Ferreira no ato da entrega, que contou com a participação do diretor executivo da Abapa, Lidervan Morais.

O presidente da Abapa, Júlio Cézar Busato, explica que, logo depois da aprovação da diretoria para a aprovação do recurso, a entidade colocou à disposição desta ação o setor de compras e logística para a aquisição destes materiais. “À medida que avançamos na compra, os produtos já estarão sendo doados de forma rápida até por conta da situação de avanço de casos de contágio possibilitando que os profissionais de saúde possam atender a população adequadamente durante a pandemia”, explica.

Busato reforça ainda que o setor agrícola tem se demonstrado solidário ao promover uma série de ações de doação e apoio à sociedade por meio das fazendas e agricultores em todo o Brasil. Os produtores rurais, por meio da Abapa, destinaram um total de meio milhão de reais para a aquisição destes materiais, neste primeiro momento, para as prefeituras da área de atuação do setor agrícola no Oeste da Bahia.

Assessoria de Comunicação da Abapa/ 30/03/2020

Abapa promove visitas técnicas para continuar avançando na sustentabilidade do algodão na Bahia

Com o objetivo de continuar avançando com a sustentabilidade na produção de algodão, a Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa) começou a promover desde o início deste ano as vistorias junto às propriedades para checar a adoção dos critérios de sustentabilidade para a safra 2019/2020. Esta é a primeira etapa do trabalho de certificação desenvolvido pelo programa Algodão Brasileiro Responsável (ABR), designado pela Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa) que atua em benchmarking com a entidade suíça Better Cotton Iniciative (BCI). Desde quando foi iniciado o programa ABR na Bahia, em 2011, a área classificada como sustentável saiu de 21,1% para os atuais 77,7% no Oeste da Bahia.

A expectativa é ultrapassar os 77,7% da área plantada da fibra que obteve a certificação na safra passada, contabilizando uma área total de 247.840 mil hectares, que vem cumprindo à risca a legislação ambiental e adotando critérios de sustentabilidade dentro e fora das propriedades. A coordenadora do programa de sustentabilidade ABR/Abapa, Bárbara Bonfim, explica que a previsão é que esta primeira etapa do trabalho, que também incluiu a adesão e preparação de novos produtores para receberem a auditoria externa, deve ser finalizada até o próximo mês de abril. “As nossas equipes testam um total de 222 itens com parâmetros de sustentabilidade internacionais, ligado ao respeito dos trabalhadores no campo, a exemplo do cumprimento de normas de saúde e segurança; e da legislação trabalhista e de preservação de meio ambiente”, afirma.

Segundo o presidente da Abapa, Júlio Cézar Busato, existe um engajamento dos produtores de algodão, que além de serem referência no emprego de tecnologia e na qualidade da fibra, também vem sendo reconhecido como sustentável pelo mercado consumidor. “Demonstramos que estamos no mesmo patamar de excelência do que os produtores concorrentes da Austrália e dos Estados Unidos, com o diferencial da qualidade, proporcionado pelo clima chuvoso no início da semeadura, e seco, na fase final da colheita, além do uso de tecnologia adequada no monitoramento e combate a pragas como o bicudo do algodoeiro”, explica.  O programa ABR tem como alicerce o incremento progressivo das boas práticas sociais, ambientais e econômicas nas unidades produtivas de algodão na Bahia e em todo o Brasil, por meio das entidades ligadas à Abrapa.

 Assessoria de Imprensa da Abapa / 16/03/2020

Abapa lança Prêmio de Jornalismo durante Bahia Farm Show 2019

Os profissionais de imprensa estão convidados para participar do lançamento da primeira edição do Prêmio Abapa de Jornalismo, uma iniciativa da Associação Baiana dos Produtores de Algodão como forma de incentivar e reconhecer o trabalho jornalístico dedicado à divulgação da cotonicultura praticada no Estado da Bahia. O evento será na próxima quarta-feira (29), às 10h da manhã, no estande da associação, no Complexo Bahia Farm Show.

Durante o lançamento do prêmio, inédito na Bahia, o presidente da Abapa, Júlio Cézar Busato dará detalhes das categorias e da premiação prevista no regulamento. “Entendemos que o papel do jornalista é imprescindível para alavancar a atividade agrícola, divulgando informações e, no caso da nossa cotonicultura, dando o destaque que ela merece nacional e internacionalmente. É um reconhecimento que a Abapa faz a estes profissionais”, explica o presidente Júlio Busato.

O Prêmio contemplará modalidades escritas e de vídeo produzidas dentro de critérios pré-estabelecidos no regulamento a ser divulgado.

Todos os detalhes serão conhecidos durante o evento que deve reunir profissionais da imprensa do Matopita (região que congrega os estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia), além de jornalistas de outros estados brasileiros presentes na cobertura da Bahia Farm Show 2019, maior feira agrícola do Norte e Nordeste Brasileiro, realizada de 28 de maio a 01 de junho em Luís Eduardo Magalhães.

Assessoria de Imprensa da Abapa

Abapa apoia a realização do I Extreme Lem neste final de semana

Com o lema “Algodão presente no esporte”, a Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa) está apoiando a realização do I Extreme Lem Veloterra/Motocross. O evento será realizado neste final de semana na Pista Joacy Jr, em Luís Eduardo Magalhães. A competição tem início no sábado (30) às 14h, e no domingo, às 9h, quando as motociclistas estarão prontos no “grid” para as largadas.  A organização está esperando a participação de cerca de 200 motociclistas da região e de estados vizinhos como Distrito Federal, Goiás, Minas Gerais, Piauí e Tocantins.

O organizador do evento, o presidente da Associação de Motociclismo de Luís Eduardo Magalhães, Asafe Machado, agradece a parceria da Abapa para a realização da primeira edição do evento. “É um esporte com um crescimento do número de adeptos na região Oeste e esperamos uma grande competição. Além dos familiares e amigos dos motociclistas, a população está convidada para conferir a radicalidade do Motocross e Veloterra”, afirma.  O Veloterra se diferencia do Motocross por não ter saltos e incluir motos comuns como CG´s e Titans em suas categorias. A emoção maior está centrada exatamente nas disputas curva a curva.

Ao apoiar o evento, o presidente da Abapa, Júlio Busato, acredita que a entidade está cada vez mais próxima do esporte trazendo cada vez mais pessoas a conhecerem as ações desenvolvidas pelos produtores de algodão para o desenvolvimento socioeconômico do Oeste da Bahia. “Por meio da Cotton Bike e da Corrida de Algodão, realizadas pela Associação, estamos incentivando as pessoas no uso da fibra no vestuário por meio da campanha ‘Sou de Algodão’ e da mudança da percepção da população, que começa a ver o quanto a nossa produção de algodão é tecnificada e sustentável com respeito ao meio ambiente, garantindo mais emprego e renda para a região”, afirma.

Realizada pela Associação de Motociclismo e Trilha Motos, o Extreme Lem também conta com o apoio da Abapa e da Prefeitura de Luís Eduardo Magalhães.  Informações e inscrições: (77) 9.9940.0093/ (77) 9.9824.9194.

Assessoria de Imprensa Abapa 29/03/2019   

Agricultores continuam o trabalho de recuperação de nascentes no Oeste da Bahia

Lançado oficialmente em julho do ano passado, e com um aporte de cerca de R$ R$ 570.000 mil, o projeto realizado pela Abapa/Aiba identificou 220 nascentes, diagnosticou 77 e protegeu 37 nascentes em 9 municípios do Oeste da Bahia.

No mês de comemoração do Dia Mundial da Água, os agricultores baianos continuam trabalhando na recuperação e proteção de nascentes no oeste da Bahia. Por meio da Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa) e da Associação de Agricultores, Irrigantes da Bahia (Aiba), em parceria com a Secretaria de Meio Ambiente de Barreiras (Sematur), eles promoveram na última semana, nos dias 14 e 15, mais um curso que culminou na recuperação de uma nascente de rio na localidade da Tabua da Água Vermelha, em Barreiras. Também na última semana, entre os dias 11 e 13 de março, o mesmo curso foi ministrado em Baianópolis, e no próximo mês, acontecerá junto aos técnicos da área ambiental e moradores de Riachão das Neves.

Lançado oficialmente em julho do ano passado, e com um aporte de cerca de R$ 570.000,00, o projeto identificou 220 nascentes, diagnosticou 77 e recuperou ou protegeu 37 nascentes em 9 municípios do Oeste da Bahia. A ação conta com o apoio do Instituto Brasileiro do Algodão (IBA). Juntamente com outros 35 inscritos do curso, o morador da Tábua, José da Silva Souza, participou diretamente da proteção da nascente que fica ao lado da sua casa. “A gente sempre usou a água do povoado, mas depois deste trabalho, mesmo com a chuva, a água continua saindo limpinha”, mostra ele, que mantém em sua propriedade o “veio d´água’ que percorre cerca de 15 km para beneficiar ainda os moradores de localidades como Bebedouro e Canabrava.

Desta nascente, brota 9200 litros do aquífero que pode vir a atender cerca de 230 pessoas diariamente. Durante o curso, os integrantes diagnosticaram toda a área e definiram pelo uso da técnica “Caxambu” que protege o afloramento do lençol por meio uma cobertura construída naturalmente com pedra e argila, evitando o acesso deste afloramento do pisoteio do gado e do assoreamento com terra carregada pelas chuvas. “Além de proteger, esta é uma das técnicas que beneficia diretamente as pessoas do entorno da nascente. Mesmo com a chuva, a água continua saindo limpa e pode ser utilizada de forma segura pelos moradores e seguir o seu curso normal para beneficiar quem precisa de água perene e potável”, explica o agrônomo Renato Rios, responsável pelo treinamento.

O secretário de meio ambiente de Barreiras, Demósthenes Júnior, reforça a importância da parceria com os agricultores por meio da Abapa e da Aiba, que tem sido fundamental para desenvolver este trabalho. “Dentro deste projeto, somente em Barreiras, temos 50 identificadas, 20 diagnosticadas e 8 recuperadas, e este é o segundo treinamento com técnicos, e desta vez, incluímos a grupo do exército para reunir todos os apoios para impulsionar o projeto e proteger de forma concreta e segura os recursos hídricos das bacias hidrográficas da nossa região” afirma o secretário, que também é o presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Grande.

Ao verificar de perto os resultados deste trabalho, o presidente da Abapa, Júlio Cézar Busato, mantém a confiança da importância deste investimento por parte dos produtores rurais da região que estão cada vez mais preocupados com os recursos hídricos e com o meio ambiente. “Além do projeto da recuperação das nascentes, estamos apoiando um estudo do potencial hídrico do oeste da Bahia como forma de mensurar a disponibilidade hídrica das águas superficiais em um projeto coordenado pela Universidade Federal de Viçosa e da Universidade de Nebraska, nos Estados Unidos, e Governo do Estado. O uso de tecnologia de ponta na agricultura, elevando a produtividade, respeito à legislação ambiental e o uso sustentável da terra e dos recursos hídricos garante para toda a sociedade o quando os agricultores baianos estão comprometidos com o meio ambiente”, afirma.

 

 

Assessoria de Imprensa da Abapa 19/03/2019

Abapa e Aiba presentes na Fenagro 2018, em Salvador

O agronegócio do Oeste da Bahia está presente na 31ª  edição da Fenagro, em Salvador, evento que acontece de 24 de novembro a 02 de dezembro, no Parque de Exposições da capital baiana. No domingo (25) a abertura oficial reuniu autoridades e representantes da cadeia produtiva do Estado. Os presidentes da Abapa, Júlio Busato e da Aiba, Celestino Zanella participaram da solenidade, comanda pelo vice-governador da Bahia, João Leão, compondo a tribuna de honra.

No seu pronunciamento, Zanella destacou a importância da Fenagro para divulgação do trabalho realizado em prol do agronegócio do oeste baiano e aproveitou para convidar os presentes para o lançamento da Bahia Farm Show 2019, agendada para o período de 28 de maio a 01 de junho, em Luís Eduardo Magalhães. “A Fenagro tem sido para nós um momento para trocar experiências e mostrar o resultado da atividade agrícola da região oeste. Como já se tornou uma tradição, inserimos na programação da Fenagro, na terça-feira (27), o lançamento da Bahia Farm Show 2019, a maior feira de tecnologia agrícola e negócios do Norte/Nordeste do Brasil”, disse.

Durante o período da Fenagro 2018 as associações estarão, com um estande demonstrando detalhes e informações sobre a agricultura praticada no oeste do Estado. A equipe técnica presente oferece, a estudantes, pesquisadores e demais visitantes dados e números do agronegócio regional e socializa projetos e pesquisas desenvolvidas para a melhoria e lançamentos de novas variedades de cultivares. O espaço disponibiliza ainda material gráfico e a descontração das mascotes ‘Dão” e “Emílio”, representando as comodities algodão e milho, respectivamente.

“Durante a Fenagro estaremos com uma vasta agenda de reuniões, encontros e audiências junto aos órgãos públicos e empresas. É uma oportunidade de fortalecer parcerias e traçar novas”, disse o presidente da Abapa Júlio Busato que, durante toda a manhã desta segunda-feira (26), participou de uma reunião sobre os resultados do estudo do potencial hídrico no Oeste, realizado pelas duas associações e as universidades Federal de Viçosa (MG) e de Nebraska, nos Estados Unidos.

Bahia Farm Show – O lançamento da 15ª edição da Bahia Farm Show aconteceu na terça-feira (27), às 19h no auditório da Seagri, no Parque de Exposições de Salvador. Na ocasião, também foi lançada a 3ª edição da Cartilha sobre Regularização Ambiental de Propriedades Rurais no Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia). A publicação é aguardada com entusiasmo por profissionais, pesquisadores e estudantes de cursos agrotécnicos, pois traz esclarecimentos sobre o cumprimento das legislações ambientais vigentes. Os exemplares serão distribuídos gratuitamente no evento.

Araticum Comunicação –26/11/2018

Maior prova de corrida de rua é realizada no oeste da Bahia

A Corrida do Algodão, realizada pela Abapa, reuniu cerca de 1.000 atletas de diferentes estados brasileiros em um prova onde a superação e a alegria deram o tom

Luís Eduardo Magalhães, no oeste da Bahia foi sede pelo segundo ano, da maior prova de corrida de rua que a região já viveu: a Corrida do Algodão, realizada pela Associação Baiana dos Produtores do Algodão (Abapa), no sábado (29).  O evento uniu, em um momento único, a leveza do algodão com a habilidade de atletas profissionais, amadores, cadeirantes, crianças, pais e mães, todos, percorrendo percursos pré definidos em busca de um ideal: a superação.
“É indescritível a emoção que senti, ali, na linha de chegada, entregar medalhas a pessoas cansadas, sentindo dor, sem fôlego, mas, entusiasmadas. E só posso dizer que ‘superação’ é a palavra que define este evento. Ao viver tudo isso, me sinto na obrigação de pedir aos nossos cotonicultores para que, se superem. Acabamos de colher a maior safra da história da Bahia, foram mais de 1,2 milhão de toneladas de algodão. Agora, precisamos tomar o exemplo desses homens, mulheres, crianças e cadeirantes, e assumir o compromisso de nos superar a cada nova safra, a cada novo ano”, disse o presidente da Abapa, Júlio Cézar Busato.  
A Praça do Jardim Paraíso, local do evento acolheu atletas e milhares de pessoas que foram prestigiar o evento, regado ao som da música eletrônica sob o comando do DJ Charles e do ritmo contagiante da baianidade de Bosco Fernandes. Academias, empresas de saúde e expositores do segmento do agronegócio associaram suas marcas e produtos à Corrida do Algodão. Teve ainda um espaço gourmet com uma diversidade de guloseimas, lanches e bebidas para refrescar o calor característico do oeste baiano.
A prova de abertura foi realizada pelas crianças que deixaram o circuito mais colorido, correndo ao lado de pais, tios, avós. A alegria na chegada era a marca registrada da garotada. “Essa prova foi incrível, comecei a correr incentivada pela minha mãe e cheguei entre os primeiros”, disse, orgulhosa a pequena Geovanna Cirilo, de 8 anos, que competiu acompanhada pela mãe, Ana Lídia Cirilo, que logo depois, enfrentou ainda a prova dos 5km. “Cada ano este evento está melhorando, se tornando tradição na região’, descreveu Ana Lídia.
Para os cadeirantes, que largaram logo depois das crianças, a prova foi de pura força de vontade e muita garra. Participando pela primeira vez, Silvana Guimarães, chegou em quarto lugar, ela, foi de Barreiras, com outros cadeirantes, disputar a corrida. A colocação foi o que menos importou para a atleta. “Eu vim para compartilhar um evento de socialização e principalmente, de inclusão. Tudo aqui foi organizado pensando no ser humano, isso é sensacional, estamos aqui para celebrar a vida”, disse, feliz ao receber sua premiação.
A prova mais esperada do dia mobilizou cerca de 100 pessoas envolvidas diretamente na segurança e no bem estar dos atletas durante todo o percurso que cortou ruas e avenidas da cidade. Nas categorias feminino e masculino, a disputa foi acirrada e no final, medalhas para todos. Na categoria livre de 5km e 10 km, foram distribuídos R$ 15 mil em dinheiro e troféus. “Fiquei impressionado com a organização do evento, compatível a grandes corridas que já competi no Brasil”, disse o vencedor dos 5Km, Ronaldo Lopes, que veio de Brasília (DF) para conquistar o primeiro lugar no pódio, Ele aproveitou o momento para deixar um recado. “No próximo ano, voltarei para defender o título”.
Quem era ‘só sorrisos’ foi a vencedora dos 10 km no feminino, Cruz Nonata da Silva, também de Brasília. Segundo ela, que já tem na bagagem o quarto e quinto lugares em provas da São Silvestre, no Rio de Janeiro e é medalhista dos Jogos Pan Americanos em Guadalajara, no México, correr é vencer desafios diários. “Estou sem patrocínio, mas jamais vou desistir do meu objetivo que é correr e ganhar. Penso que todas as pessoas deveriam começar nesse esporte, mesmo que por lazer, porque certamente, verão uma mudança nas suas vidas”, incentivou a campeã.
Para a organizadora geral do evento e diretora da Abapa, Alessandra Zanotto, a prova é resultado de muita dedicação e comprometimento. “Pelo segundo ano cruzamos a linha de chegada da Corrida do Algodão, um evento pensado e planejado com muito carinho e principalmente, com todo o cuidado e respeito que os atletas merecem. Este evento obedeceu às normas técnicas e de segurança das principais provas realizadas no Brasil. Contamos com o apoio de muita gente, patrocinadores, apoiadores e uma equipe séria e comprometida que doou todo o seu talento, sem medir esforços. Estão todos de parabéns. Sou extremamente grata a cada um”, disse.

Os resultados oficiais da corrida, com o tempo de cada atleta estão disponíveis no link 
http://www.oestechip.com.br/corridadoalgodao/index.htmlA Corrida do Algodão é realizada pela Abapa com o apoio do Instituto Brasileiro do Algodão (IBA), Fundeagro e Prefeitura de Luís Eduardo Magalhães. Conta com o patrocínio das empresas: Agrosul – John Deere, Unicot, CCAB Agro, Basf, Girassol Agrícola, Sudotex, J&H Sementes, Nufarm, Ciaseeds, Maxum Case, Bayer, Kasuya Consultoria, Eisa Interagrícola, FMC, Zanotto Cotton, Fama Motors, Corteva, Alfatrans e Syngenta. A organização é da Adoro Produtora e assessoria técnica, da VO2. 
 Assessoria de imprensa da Abapa – 02.10.2018
Confira algumas imagens da Corrida do Algodão:

Atletas inscritos na Corrida do Algodão podem retirar o kit em Barreiras a partir de quarta-feira (19)

Em Luís Eduardo Magalhães a entrega será na próxima semana

Está chegando a corrida para quem tem fibra. No dia 29 deste mês, a partir das 18h, a Associação Baiana dos Produtores de Algodão realiza a 2ª edição da Corrida do Algodão. E os atletas que forem retirar os kits em Barreiras devem observar o período da entrega, que será de quarta-feira (19) até o sábado (22), na Adoro Produtora, em horários pré-determinados. O kit atleta é composto pelo número com chip, camiseta e copo, tudo dentro de uma ecobag 100% algodão, como parte da campanha “Sou de Algodão”, da Abapa, que incentiva o uso da matéria prima no vestuário e na moda brasileira
 
 A Corrida do Algodão será realizada na Praça Albano Lauck, do bairro Jardim Paraíso, onde será montada uma dinâmica área de convivência, em alusão à cultura de algodão, para recepcionar familiares e amigos dos atletas e a população em geral, que vão contar com música, dança, alongamento, além de um espaço de entretenimento com brinquedos para as crianças, e gastronômico com food trucks. “Além de um percurso desafiador para os atletas e amantes da corrida, o evento traz a proposta de integração única de amigos, familiares e população de Luís Eduardo, Barreiras e também de outros estados brasileiros”, reforça a coordenadora do evento, Alessandra Zanotto.
 
Para maior transparência na competição, a corrida contará com um sistema moderno de cronometragem com a entrega de transponder (chip) para os inscritos. O resultado será realizado eletronicamente com a passagem do competidor por um tapete de captação de dados garantindo a autenticidade no resultado da prova. “Antes do evento, teremos uma atividade de alongamento com todos os participantes, e, ao longo de todo o percurso, teremos pontos de hidratação e apoio aos corredores. O evento também contará em equipe médica e apoio do Samu, em caso de qualquer emergência”, complementa Zanotto.
 
 A Corrida do Algodão é realizada pela Abapa com o apoio do Instituto Brasileiro do Algodão (IBA), Fundeagro e Prefeitura de Luís Eduardo Magalhães. Conta com o patrocínio das empresas: Agrosul – John Deere, Unicot, CCAB Agro, Basf, Girassol Agrícola, Sudotex, J&H Sementes, Nufarm, Ciaseeds, Maxum Case, Bayer, Kasuya Consultoria, Eisa Interagrícola, FMC, Zanotto Cotton, Fama Motors, Corteva, Alfatrans. A organização é da Adoro Produtora e assessoria técnica, da VO2.
 
 [Corrida do Algodão 2018]
Local: Largada Praça Albano Lauck, do Jardim Paraíso, Luís Eduardo Magalhães
Data e Horário:  Dia 29 de setembro, sábado, a partir das 18h
Regulamento e inscrições: www.corridadoalgodao.com.br
 
 Assessoria de imprensa da Abapa – 19.09.2018

 

Atletas profissionais e amadores confirmam participação na Corrida do Algodão 2018

Esta é a última semana para garantir a inscrição no evento que será realizado dia 29 deste mês, em Luís Eduardo Magalhães, oeste da Bahia
A procura pelas inscrições da segunda edição da Corrida do Algodão, realizada pela Associação Baiana dos Produtores de Algodão (ABAPA) é intensa. Atletas amadores e profissionais da Bahia e de estados como Goiás, Tocantins, São Paulo e do Distrito Federal estão confirmando as suas vagas para o evento, no próximo dia 29 deste mês, em Luís Eduardo Magalhães, oeste baiano. Os interessados só têm esta semana para garantir uma vaga no maior evento do gênero da região, basta entrar no site www.corridadoalgodão.com.br e preencher a ficha de inscrição, até domingo (16).
Com uma estrutura arrojada, a corrida, realizada a partir das 16h do sábado, 29, na Praça Albano Lauck (Jardim Paraíso) prevê circuitos de 5 km e 10 km nas categorias feminino e masculino, além de um circuito de 800 metros onde competirão as categorias kids e cadeirantes, esta último, com isenção de taxa de inscrição. Na kids podem participar crianças de quatro a dez anos de idade acompanhadas por um responsável, de 11 a 13, participam na kids individual e a partir dos 14 anos, já se enquadram na categoria adulto.
“A corrida de rua é um esporte democrático, qualquer pessoa pode participar desde que esteja com a saúde em dia, sem grandes investimentos. A proposta da ABAPA, ao realizar a Corrida do Algodão é estimular a prática esportiva e o uso de roupas de algodão, entre as pessoas. Estamos organizando uma estrutura que garantirá todo apoio a atletas e ao público em geral que for assistir. A Corrida do Algodão, em sua segunda edição, já  integra o calendário de grandes eventos esportivos da região oeste da Bahia””, assegura a organizadora, Alessandra Zanotto.
Ao se inscreverem os atletas estarão concorrendo a uma premiação de R$ 15 mil e troféus, além de medalhas para todos os participantes. As taxas são de R$ 60 para categorias feminino e masculino nas provas de 5km e 10km e kids individual e R$ 100 para a categoria kits, com direito a acompanhante. A inscrição dá direito ao número com chip, camisa, copo e uma ecobag e os kits poderão ser retirados em Luís Eduardo Magalhães e também, em Barreiras.
 
A Corrida do Algodão é realizada pela Abapa com o apoio do Instituto Brasileiro do Algodão (IBA), Fundeagro e Prefeitura de Luís Eduardo Magalhães. Conta com o patrocínio das empresas: Agrosul – John Deere, Unicot, CCAB Agro, Basf, Girassol Agrícola, Sudotex, J&H Sementes, Nufarm, Ciaseeds, Maxum Case, Bayer, Kasuya Consultoria, Eisa Interagrícola, FMC, Zanotto Cotton, Fama Motors, Corteva, Alfatrans. A organização é da Adoro Produtora e assessoria técnica, da VO2.
.
[2ª edição da Corrida do Algodão]
Data: 29 de setembro de 2018 
Local: Praça Albano Lauck/Praça Jardim Paraíso – Luís Eduardo Magalhães (BA).                               
 
Assessoria de imprensa da Abapa – 12.09.2018

Corra: ainda dá tempo de se inscrever na Corrida do Algodão 2018

As inscrições vão até 15 de setembro e podem ser feitas online

Atletas amadores e profissionais têm até o dia 15 de setembro para garantir a participação da 2ª edição da Corrida do Algodão, realizada pela Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), em Luís Eduardo Magalhães. O evento promete movimentar o sábado (29) de setembro e levar milhares de pessoas entre atletas e público em geral até a Praça Albano Lauck, no bairro Jardim Paraíso. Para se inscrever basta acessar o site www.corridadoalgodao.com.br e preencher os dados, lá também está disponível o regulamento geral.
 
As provas contarão com trajetos de 5km e 10km feminino e masculino nas categorias profissional e amador – nesta última com a valorização extra dos atletas amadores que receberão troféus por faixa etária.  A criançada também marcará presença abrindo as competições, às 17h30min em um trajeto de 800 metros. Com caráter de inclusão, o evento terá uma categoria exclusiva para os cadeirantes que poderão fazer as inscrições isentos de taxas, para eles estão garantidas ainda medalhas de participação.
 
“A procura pelas inscrições está muito positiva, estamos já no segundo lote e mais de 500 atletas confirmados. Isso é reflexo do sucesso obtido na edição passada, quando ainda no primeiro ano a prova já marcou pela organização e cuidado nos detalhes. Certamente neste ano teremos ainda mais público e atletas competindo, nossa equipe está empenhada em garantir um evento de excelência para competidores e as famílias que forem prestigiar o evento”, assegura Alessandra Zanotto, organizadora do evento e também cotonicultura e diretora da Abapa.
 
Assim como na edição passada, a Corrida do Algodão 2018 garantirá aos atletas uma estrutura e organização compatíveis às das principais competições realizadas no Brasil. A prova contará com sistema de cronometragem por meio de transpondercom o uso de chip para marcação do tempo. Os atletas terão, ao longo de todo o percurso, o apoio de ambulância, UTI para atendimento emergencial, sanitários, pontos de hidratação e suporte da equipe técnica. Na Praça Albano Lauck será montada uma área reservada, onde os competidores poderão repor as energias com mesa de frutas, isotônicos e muita água para hidratar, além de pontos de descanso.
 
Para os visitantes, será oferecida uma estrutura completa e diversifica com espaço gourmet, espaço kids, para as crianças se divertirem e participarem de competições e brincadeiras e espaço dos expositores com divulgação de marcas e produtos direcionados ao setor esportivo A Corrida também vai incentivar o uso de peças e roupas de fibras de algodão entre os presentes por meio da campanha “Sou de Algodão”.
 
A Corrida do Algodão é realizada pela Abapa com o apoio do Instituto Brasileiro do Algodão (IBA), Fundeagro e Prefeitura de Luís Eduardo Magalhães. Conta com o patrocínio das empresas: Agrosul – John Deere, Unicot, CCAB Agro, Basf, Girassol Agrícola, Bayer, J&H Sementes, Nufarm, Maxum Case, Eisa Interagrícola, FMC e Zanotto Cotton. A organização é da Adoro Produtora e a assessoria técnica, da VO2.

ASCOM Abapa