Mulheres na literatura: 5 livros para ler em 2018

By  |  0 Comments

O dia internacional da mulher está chegando. Algumas livrarias virtuais já anunciaram que vão fazer promoção para a data e eu acho muito digno que nós pensemos em dar uma chance para mulheres escritoras.

Graças ao bom Deus nós, mulheres, não precisamos mais sofrer quando queremos ser pessoas normais. Você já ouviu sobre as histórias antigas de mulheres que queriam apenas estudar e não podiam, tenho certeza. Hoje, eu jornalista, posso escrever, estudar e ser tão bem sucedida quanto ou até mais que um homem. E isso, meus amigos, é sensacional. Espero que cada vez mais possamos ver mulheres fazendo sucesso e ocupando postos que até ontem eram ocupados majoritariamente por homens.

E como eu falei ali em cima, vamos aproveitar que alguns sites irão fazer promoções com descontos interessantes e aumentar a listinha de leitura de 2018? Desta vez separei livros escritos por mulheres.

  • Holocausto Brasileiro – Daniela Arbex

Não sei se você já ouviu falar no famoso caso do “manicômio” de Barbacena, cidade localizada em Minas Gerais. Esse livro fala sobre isso. É um livro-reportagem (meus preferidos) que retrata a história do Hospital Colônia de Barbacena, onde cerca de 60 mil pessoas morreram no século 20. Conta histórias, investiga o passado e relembra os horrores vividos pelos pacientes que, em sua maioria, sequer apresentavam problemas mentais. É um livro forte.

  • O Sol é para Todos – Harper Lee

É considerado um clássico da literatura mundial e aborda questões como injustiça e racismo, narrando a história de um advogado que precisa defender um homem negro acusado de estuprar uma mulher branca. O livro é narrado por Scout, filha do advogado, que retrata as represálias sofridas pelo pai na sociedade racista de 1930.

  • Outros Jeitos de Usar a Boca – Rupi Kaur

É um livro de poesia moderno, mas totalmente atemporal. A autora é indiana e tem como temática a sobrevivência, onde seus poemas retratam experiências de abuso, amor (inclusive o próprio) e a perda feminilidade. Ficou por mais de 40 semanas na lista dos mais vendidos do The New York Times. Apesar de não ser um dos meus preferidos – quem me conhece sabe que não suporto poesia -, reconheço que é um livro necessário principalmente para aquelas pessoas que precisam se lembrar de como é o amor próprio.

  • A Guerra Não Tem Rosto de Mulher – Svetlana Alexijevich

Svetlana foi a primeira bielorussa a receber o Prêmio Nobel e destaca que mesmo que as mulheres estejam na linha de frente, elas são inviabilizadas nas histórias de guerra. No livro a autora reconstrói conflitos da Segunda Guerra Mundial a partir da perspectiva das combatentes soviéticas – que eram mais de 1 milhão no Exército Vermelho.

  • A Vida que Ninguém Vê – Eliane Brum

Sou suspeita para falar de Elianinha. No livro, a autora é uma repórter em busca dos acontecimentos que não viram notícia e das pessoas que não são celebridades. As crônicas reunidas na obra eram publicadas no final dos anos 90 no jornal Zero Hora, e agora emocionam os leitores pela sensibilidade de Brum.

Estes foram alguns títulos que podem te ajudar a sair da zona de conforto ou até mesmo a conhecer um pouco mais da literatura criada pelas mãos de mulheres. Existem outros nomes que merecem atenção, como:

– Elena Ferrante, Fernanda Torres, Cora Coralina, Lygia Fagundes Telles, Lena Dunham, Margaret Atwood, Alice Munro, Hilda Hist.

Já sabe, né? Se ler algum desses ou se tem alguma dica nova para compartilhar, chama nos comentários! Vamos prestigiar as mulheres desse mundo!

Tenho 25 anos, sou jornalista, mas bem poderia ser qualquer outra coisa, devido à minha necessidade de aprender. Escrevo, fotografo e sorrio. Acho que é assim que se vive, não é?