Missão Educar: Leandro dos Santos, Secretário de Educação, fala sobre os planos e projetos da gestão atual

By  |  1 Comment

Ano novo, governo novo e claro, Secretarias novas. O atual Secretário de Educação, Leandro dos Santos, nos concedeu uma entrevista para sabermos da atual situação do ensino em Luís Eduardo Magalhães e falou sobre os próximos projetos que serão colocados em prática na gestão do prefeito Oziel Oliveira.

Vem conferir com a gente!

Leandro dos Santos tem 32 anos e é Bacharel em Teologia, Licenciado em Filosofia e no ano corrente conclui Bacharelado em Direiro. É Especialista em Gestão Escolar, Orientação Educacional e em Ensino Superior e possui, ainda, o título de Mestre em Ciências da Educação, onde sua linha de pesquisa desenvolvida foi em cima da Filosofia da Educação, voltada para a perspectiva da Avaliação Institucional. Leandro já foi diretor da Escola Municipal Angelo Boza, em 2007.

O Secretário está em Luís Eduardo Magalhães desde 1994, e começou a atuar como profissional da Educação em Barreiras, há 16 anos.

Leandro conta que participou da comissão de transição da Educação (não da governamental) e que foi possível observar alguns processos e visualizar algumas perspectivas pedagógicas junto à equipe anterior. “A Secretaria, em tese, está no momento de descobertas, formalizando e finalizando a formação da equipe de trabalho, que é composta pela aptidão técnica de cada um. Nós precisamos da visão de dentro para fora das escolas. De nada adianta eu formar uma proposta pedagógica, montar ações, desenvolver projetos, se eu não conhecer a realidade da escola. A gente precisa ter a visão dos dois lados. Existe o estratégico e o operacional, e nós devemos juntar os dois e fazer a coisa andar”, conta o Secretário.

Os números da Educação

Ao todo, Luís Eduardo Magalhães conta com 41 unidades de ensino, subdivididas entre creches, fundamental I, fundamental II e EJA (Ensino de Jovens e Adultos).

Estima-se que existem 18 mil alunos na rede municipal e, para dar conta de tal demanda, hoje estão em atividade 900 profissionais, entre professores, diretores e técnicos de ensino.

“Temos uma quantidade considerável de escolas alugadas, pois nesses últimos 8 anos, somente uma escola foi construída e a mesma encontra-se com sérios problemas de estrutura”, explicou Leandro. O Secretário falou, ainda, sobre as intervenções que provavelmente serão feitas na estrutura das escolas: “Estamos recebendo a maioria dos prédios com um nível de deterioração considerável e, por incrível que pareça, os que estão em pior situação são os alugados. Os prédios que nos rendem os alugueis mais caros, no momento são os que mais precisam de intervenções urgentes por conta da estrutura, como por exemplo, o CEMEI Jardim das Acácias, a escola Angelo Boza e o anexo da Escola Modelo”.

Leandro explicou sobre a necessidade dos anexos, já que existe um tanto considerável deles na cidade. “Os anexos são necessários porque são uma demanda reprimida que a sede não consegue atender. O ideal seria a ampliação das escolas, mas tudo isso só é possível com planejamento. Quando vemos o crescimento desses anexos, percebemos a falta de planejamento. Era possível ter previsto isso”, completou.

As filas nas portas das escolas não são necessárias

Na semana passada, a Secretária de Governo do Prefeito Oziel, Katerine Rios, afirmou ser desnecessária a permanência dos pais nas filas das escolas a fim de matricular seus filhos, já que haveria vaga para todos os alunos.

Leandro explicou porque as filas acontecem. “Nós temos 41 unidades e elas estão (ou pelo menos deveriam estar) interligadas. Percebemos que só existe fila numa escola A, B, C ou D. No universo destas 41 unidades, nós temos ilhas de qualidade. Isso é notório quando você olha o IDEB ou os resultados dos projetos da escola. Ela pode não possuir estrutura física, mas tem estrutura pedagógica. Esta qualidade deveria estar presente em todas as escolas, mas infelizmente faltou projeção educacional.

Professor: personagem principal

“O professor está pedindo suporte, orientação, apoio pedagógico”

Ultimamente vimos várias manifestações encabeçadas por alunos em defesa dos direitos e da valorização dos professores e isso reflete o quanto esses profissionais são deixados em segundo plano.

“Se queremos uma educação de qualidade, precisamos reconhecer que temos responsabilidade com o educador. Meu papel, enquanto educador, também é formar. Vamos criar um plano de avaliação institucional, para que os profissionais comecem a ser reconhecidos mediante seus méritos”, contou Leandro.

Há 8 anos era realizado o Projeto Professor do Ano, onde um profissional era premiado com uma viagem (que também levava a congressos referentes à área da Educação). O Secretário garantiu que a medida será retomada, assim que possível. “É preciso humanizar, tratar a educação de uma maneira humana”.

Pretendemos iniciar no dia 1º de fevereiro a Semana Pedagógica, que vai ser o pontapé inicial para a Jornada de Formação Continuada. Será realizada com a presença de todos os profissionais do meio educacional e possivelmente contará com um palestrante de peso. “É um momento motivacional, onde mostraremos a perspectiva de mudança. É uma oportunidade de contato do prefeito com todos os professores”, conta o secretário.

Como reverter as inconsistências da gestão anterior?

“Existem as medidas preventivas e as remediativas. Em 2017, vamos remediar. Porque precisamos colocar mais crianças em sala e não temos essas estruturas prontas para uso. Vamos gastar além do necessário, porque iremos alugar prédios. As grandes mudanças na Educação só começarão a surgir a partir de 2018”, disse o Secretário.

O objetivo da Secretaria de Educação é começar o ano letivo na data prevista (6 de fevereiro), conforme o calendário que já foi divulgado nas escolas. Inclusive, tem início hoje, segunda-feira, as matrículas dos novos alunos da rede municipal.

O que mais é necessário para a educação além da verba?

Leandro não exitou ao responder: “A valorização do profissional da educação”.

“Estamos passando por momentos onde o profissional está desmotivado. É difícil manter animado e motivado um professor que não recebe 13º salário ou férias há tempos, por exemplo”, completou.

Qual sua missão enquanto Secretário da Educação?

“São muitas missões, mas estou junto com a equipe para fazer dar certo. Quero lembrar ao povo que esta gestão é da Saúde e da Educação”

O Secretário diz que quer finalizar a gestão com o sentimento de rede do ensino resgatado e exercitar a excelência, melhorar a qualidade. “Meu perfil é de gestor, e eu tenho a visão do sistema. Gosto muito de escutar as pessoas e assim temos feito”, disse.

A equipe da Secretaria de Educação de Luís Eduardo Magalhães

“Nossa proposta é retomar a rede com planejamento. Estruturar a equipe da secretaria é o primeiro passo. Vamos trabalhar em cima de uma proposta pedagógica que seja factível. Está na hora de botar em prática e ouvir o educador, já que é ele quem vai executar todos os projetos planejados pela secretaria”

Leandro reafirmou várias vezes durante a entrevista o intuito de retornar o ensino ao modelo de rede. “Mas sozinho eu não vou longe. Preciso de todos, dos diretores aos alunos. Esse é um trabalho em equipe”, concluiu.

A Secretaria da Educação nesta gestão do prefeito Oziel tem um caminho longo pela frente, mas já tem várias ideias ótimas para colocar em prática. Alguns exemplos foram citados acima, no texto, como o início do ano letivo, a realização da Semana Pedagógica, o início da Jornada de Formação Continuada, a volta do Projeto Professor do Ano e ainda a construção de uma nova escola destinada ao ensino do Fundamental II no Centro que está prevista (mas ainda não confirmada).

É claro que ainda surgirão vários projetos e medidas a serem tomadas durante a gestão, mas para o início, a Secretaria de Educação segue no caminho para cuidar do ensino dos quase 20 mil alunos da cidade.

Uma agência incomum de comunicação integrada.