Livro digital: como surgiu a minha história de amor com o Kindle

By  |  0 Comments

Houve um tempo em que eu torcia o nariz para os famigerados e-books. Tempo não muito distante de hoje, inclusive. Sempre fui do tipo de gente que leva pelo menos um livro na bolsa, seja lá para onde for: fila do banco, sala de espera do médico, entrevista de emprego, natal com a família (sim, eu já fiz isso); e isso acabou moldando fortemente a minha preferência pela leitura.

Acontece que de uns tempos para cá, o mundo tem voltado seus olhos à tecnologia. Os e-books, livros digitais, PDFs, ou como você queira chamar, vieram para ficar e, até que provem o contrário, podem ter o mesmo encanto que aquele livro físico que você tanto ama. Digo isso porque sou suspeita e: me rendi ao Kindle!

 

Finalmente essa relação está acontecendo e nós dois, eu e ele, travamos uma amizade sincera. Muitos arquivos, muitos livros e uma interação que você não vê há muito tempo está rolando por aqui. Eu, singela leitora de páginas amareladas, decidi dar uma chance ao leitor digital e posso jurar de pés juntos que não me arrependo.

E se é lista de motivos para ter um Kindle que você quer, é lista que vai ter:

  • Espaço

Se você sofre com falta de espaço em casa, o Kindle é uma ótima opção, pois vai te privar do fato de acumular muitos livros em caixas ou sobre mesas e escrivaninhas. Cada Kindle possui pelo menos 4gb de memória interna e nele é possível carregar muitos livros sem sentir nadinha de peso.

  • Preço

Hoje é possível encontrar o Kindle em suas versões mais simples a partir de R$190,00; o que, se colocarmos na ponta do lápis, acaba sendo revertido em pouco mais do que 6 ou 7 livros físicos. A diferença é que, com o Kindle, você gasta esse dinheiro e depois passa a “economizar”, já que muitos livros digitais acabam sendo mais baratos que os físicos.

  • Interatividade

Muitas vezes a gente lê um livro com uma linguagem um pouco mais distante do nosso cotidiano e sempre ficam algumas dúvidas de vocabulário para trás. Eu, por exemplo, nunca lembrava de pesquisar as palavras anotadas no dicionário. Com o Kindle dá para fazer isso em um clique, sem precisar ao menos sair da página de leitura. O aparelho tem dicionários integrados ao seu sistema de busca, que te dão significados prontos em questão de segundos.

(Foto: Juliana Cirqueira)

 

  • Manuseio

Já tentou carregar para cima e para baixo um calhamaço de 1000 páginas ou mais? Lota a bolsa, faz as costas doerem, o próprio livro pode ficar estragado ou com marcas de uso. No Kindle é muito mais fácil ler livros longos e pesados sem sacrifício.

  • Ler sem esforço

Existem versões que possuem ajuste automático de iluminação integrado, mas também existem versões mais simples e que, mesmo assim, dão conta do recado. A luz do Kindle imita direitinho a luminosidade e a textura de uma página de papel, fazendo com que os olhos não se cansem.

Esses foram apenas alguns motivos simples e que você com certeza vai perceber logo de cara caso resolva comprar um Kindle também. No momento tenho usado muito o meu, e estou lendo “O Conto da Aia”, obra de Margareth Atwood e livro inspiração do seriado The Handmaid’s Tale, que até já falei sobre aqui no blog.

Eu não defendo que os livros físicos devam acabar, porque foram com eles que as minhas experiências de leitura começaram e, inclusive, ainda compro muitos e não pretendo parar. Mas o mundo felizmente muda, e se o Kindle é uma ferramenta que pode melhorar e até mesmo aumentar nossos hábitos de leitura, por que não dar uma chance?

Bora ler pelo menos um livro por mês comigo? Sempre publico sobre minhas leituras nas mídias sociais e você pode me encontrar no Instagram: @evenvendramini.

 

 

Tenho 25 anos, sou jornalista, mas bem poderia ser qualquer outra coisa, devido à minha necessidade de aprender. Escrevo, fotografo e sorrio. Acho que é assim que se vive, não é?