Falsos Saudáveis | Entrevista com @mairactavares

By  |  0 Comments

A edição nº 15 da Revista Carpe Diem já está circulando na cidade e trouxe em suas páginas uma matéria muito importante, sobre os Falsos Saudáveis (página 12), que contou com a colaboração da educadora física e blogueira Maíra Tavares, nacionalmente conhecida pelo projeto #saudesqn (saúde só que não) no seu Instagram (@mairactavares).

A Maíra, além de ter um corpo maravilhoso para nos inspirar a pegar firme na dieta e exercícios, levantou uma questão que merece a atenção de todas nós sobre alimentação: os alimentos falsos saudáveis, que ao contrário do que se anuncia, são prejudiciais à nossa saúde. Para alertar seus seguidores do instagram, ela entrou no projeto #saudesqn, seguindo uma dieta com vários itens que a gente compra no mercado achando que está fazendo a escolha certa. Apesar de esses itens serem menos calóricos eles são falsos alimentos saudáveis, pois podem conter concentrações elevadas de açúcar, sódio ou gordura. Essa informação nem sempre é clara para o consumidor que, atraído pelo rótulo do produto, acredita estar optando por um item mais saudável. É preciso ficar atento ao rótulo de cada produto, principalmente às informações referentes a carboidratos, proteínas, gorduras, colesterol, fibra e sódio.

Entramos em contato com a Maíra e conseguimos uma entrevista exclusiva para o blog! Vamos conhecer mais sobre esses vilões disfarçados em pele de cordeiro e sobre o #saudesqn?

maira

Antes e depois da Maíra. Mesmo no corpo super malhado dela as diferenças são visíveis!

Como surgiu o projeto #saudesqn?
Surgiu em março deste ano com o intuito de alertar as pessoas sobre os alimentos frequentemente consumidos como saudáveis, pois observo que a alimentação está cada vez mais industrializada e consequentemente mais artificial e prejudicial à saúde. E da mesma forma que um dia eu também comprei esses produtos achando que era bom, sem saber o que continha na lista de ingredientes, percebia que a grande maioria das pessoas faz o mesmo.

Qual eram seu peso e medidas antes e depois do projeto?

O meu peso antes do projeto era 59,5kg e depois do projeto estava 59,8kg. A diferença de peso entre o início e o final do projeto não foi significativa e eu já esperava isso, afinal a maioria desses alimentos são pouco calóricos, mas com qualidade nutricional muito pobre e justamente por isso que a minha composição corporal mudou tanto: aumentei 7% no percentual de gordura, tive redução de 3,5kg de massa muscular e a hidratação corporal também diminuiu. Os exames laboratoriais também mostraram aumento de marcadores de alergia alimentar, além de alterações nos níveis de TSH, insulina e triglicerídeos.

De que era composta a sua dieta antes e durante o projeto #saudesqn?
Antes era composta de alimentos saudáveis e naturais. Durante o projeto #saudesqn eu passei a consumir pão integral, iogurtes (Danio, Grego, Activia, etc), queijos, requeijão, queijinho pasteurizado, barrinha de cereal e de nuts da Agtal, cereal matinal Nesfit, molho de tomate pronto, sal refinado, temperos prontos, sucos de caixinha, suco de soja Ades, cookies integrais, biscoito Club Social light e Nesfit, gelatina diet, entre outros.

Em qual parte do corpo você mais sentiu diferença com a inclusão dos falsos saudáveis?
Na barriga e celulites no bumbum e perna.

E quais problemas os falsos saudáveis causaram à sua saúde e disposição?
Este foi o desconforto maior, pois fiquei muito preguiçosa, desanimada sem vontade para praticar exercícios.

Quais alimentos que você considera mais enganadores entre todos os que têm o rótulo de “saudável”?
Os alimentos à base de soja, os que possuem açúcar e variações do açúcar, adoçantes como aspartame, produtos que se dizem integrais, mas são feitos com farinha de trigo que não é integral, os iogurtes de frutas que são cheios de açúcar, xarope de açúcar, açúcar invertido.

O pão integral você cita como um falso saudável. Por quê?
Porque não é integral, geralmente o primeiro ou segundo ingrediente que mais possui no pão integral é a farinha de trigo enriquecida com ácido fólico e isso não é farinha integral, sendo assim, esse produto não se caracteriza como integral.

Existe industrializado saudável?
Sim, claro. Eu consumo vários como: quinoa em flocos, amaranto, cacau em pó, chia, farinha de coco, óleo de coco, azeite extra virgem, manteiga Ghee, pasta la pianezza, macarrão (de arroz, de milho e de mandioca), barrinhas da Bio2 e Nutra Vita, creks da Chico Geraes, bolacha de arroz, pão sem glúten, etc.

maira1

Mesmo mantendo os exercícios o corpo dela perdeu definição, massa magra e o % de gordura aumentou

Qual falso saudável era constante no seu dia-a-dia durante o projeto e por quê?
Iogurtes Danio e Nesfit, consumia no café da manhã ou no lanche da tarde, pois é um lanche muito comum em dietas.

As pessoas realmente pensam que ao escolher um suco de caixinha ou um pão integral estão optando por um produto saudável, ao contrário de um refrigerante e um pão francês, por exemplo. Que tipo de opções elas têm para evitar esses falsos saudáveis, sem perder praticidade e mesmo assim consumir um alimento realmente saudável e saboroso?
A alimentação deve ser individualizada para ter chances de dar certo, então não há regra. Em minha opinião, se a prioridade de uma pessoa for praticidade, ela sempre irá ao mercado pegar um produto que já está pronto para o consumo. Mas se a escolha é saúde provavelmente haverá um empenho maior em comprar um ingrediente e preparar sua comida ou lanche. Dentre opções saudáveis e prática estão alguns dos industrializados que citei acima (ex: bolacha de arroz com pastinha la pianezza).

Quais ingredientes devem ser observados nos rótulos como prejudiciais à saúde e por quê?
Ler a lista de ingredientes é a única forma de saber o que comemos, é a única forma de fazermos escolhas conscientes, ou seja, de não sermos enganados pelas propagandas da indústria alimentícia. Comer ou não comer deve ser uma escolha consciente e não alienada, simplesmente por acreditar nas propagadas.
Tem um post no meu blog falando sobre leitura de rótulos AQUI.

595709295

A sua rotina de exercícios continuou a mesma?
Não, pois é impossível ter a mesma disposição para fazer um treino intenso com a alimentação que eu estava seguindo.

Qual foi a repercussão do seu projeto?
Muito maior do que eu imaginei, pois muitas pessoas citavam e marcavam amigos e familiares para acompanhar e ler as informações. Saiu reportagens em vários blogs e sites como o extra, R7, veja Rio, etc. Participei de uma matéria no jornal Fala Brasil da Record e no Programa da Eliana no SBT.

E que dicas você tem a dar para quem realmente quer buscar uma alimentação saudável de verdade?
Opte por alimentos simples e naturais, leve seus lanches e suas refeições caso passe muitas horas fora de casa. Evite produtos industrializados e caso recorra a eles, LEIA A LISTA DE INGREDIENTES antes de comprar, compare com produtos do mesmo gênero e compre o que apresentar uma lista menor. Por exemplo, na hora de comprar um iogurte você encontra opções com 22 itens na lista de ingredientes, enquanto outros possuem 2 ou 3 ingredientes apenas, claro que a segunda opção é muito menos artificial e menos prejudicial à saúde.

Obrigada Maíra pela disponibilidade. Quem quiser saber mais sobre ela é só seguir no insta @mairactavares e acessar o blog www.mairatavares.com.br

 

E fique atenta ao que você coloca no seu carrinho no supermercado!

Leia a matéria na Revista Carpe Diem!

Captura de tela 2014-09-24 10.34.15

Uma menina do interior apaixonada pela comunicação. Trabalhando na área desde 2007, mora em Luís Eduardo Magalhães e é sócia da Immagine junto com a Dávila. Apaixonada pela filha e pelo trabalho, vive seu melhor momento. É fã de literatura, pessoas, cinema, música e internet.