Workshop Lego Serious Play acontece pela primeira vez em Barreiras e Luís Eduardo Magalhães

O formato inovador da capacitação, voltada para empresários de pequenos negócios, já é usado em organizações globais como Google, MIT, Microsoft e Nasa

Melhorar os resultados dos empreendedores e ajudar na gestão, planejamento e produtividade das empresas. Esses são os objetivos do workshop Lego Serious Play, que será realizado pelo Sebrae em Barreiras, nos dias 15, às 19h. As inscrições, que já estão abertas, podem ser realizadas na Loja Virtual do Sebrae (http://www.lojavirtual.ba.sebrae.com.br/loja/evento/26112145), o investimento é de R$ 40, as vagas são limitadas, não serão vendidos ingressos na hora do evento.

O formato inovador da capacitação, voltada para empresários de pequenos negócios, já é usado em organizações globais como Google, MIT, Microsoft e Nasa. No Brasil, empresas como Gerdau, Continental e Raízen também já investiram em capacitações do programa Lego Serious Play.

O evento é um método visual e tangível de comunicação que desenvolve competências, estimula a inovação, criatividade, visão estratégica e o trabalho em equipe. A sua utilização tem o propósito de melhorar o desempenho do participante dentro do empreendimento em que atua e identificar perspectivas de negócios.

Durante as capacitações, os empreendedores poderão ampliar o conhecimento e potencializar performances para alcançar melhores resultados em seus negócios. Toda a dinâmica utiliza um método inovador, em que os participantes utilizam as peças de Lego para construir e compartilhar ideias, cenários e experiências.

Para o gerente regional do Sebrae em Barreiras, Emerson Cardoso, que atende todo o Oeste da Bahia, a dinâmica do workshop vai surpreender os participantes e demonstrar de forma inovadora aspectos que são compartilhados no dia a dia da empresa.

“Os blocos Lego são conhecidos por todos e serão utilizados de forma que os participantes se inspirem nas construções e tirem deles aprendizados para implantar nas empresas, além de compartilhar com a equipe novas técnicas e descobertas”, avalia. Ainda segundo Emerson, a proposta do evento é apresentar uma atividade totalmente colaborativa e que interage com os participantes, mostrando como aprender construindo.

O workshop foi criado a partir de uma extensa pesquisa científica nas áreas de negócios, desenvolvimento organizacional, psicologia e aprendizagem pela LEGO, em parceria com o International Institute for Managment Development (IMD), na Suíça, e o Massachusetts Institute of Technology (MIT), dos Estados Unidos. A metodologia está fundamentada na neurociência, no construcionismo e construtivismo, no uso das mãos para desbloquear conhecimentos e criar novas conexões.

O evento acontece também em Luís Eduardo Magalhães no dia 16, a iniciativa é do Sebrae e conta com a parceria do Sicredi. Mais informações podem ser obtidas agência de atendimento da instituição, que fica na Avenida Benedita Silveira, 118, Edifício Portinari, Centro, ou pelo telefone (77) 3611-3013.

Agência Sebrae de Notícias Bahia

(71) 3320-4557 / 4558
Central de Relacionamento Sebrae: 0800 570 0800
www.ba.agenciasebrae.com.br
www.twitter.com/sebraebahia
www.facebook.com/sebraebahia

Começa na próxima segunda-feira (13 de maio) o cadastramento biométrico obrigatório em Luís Eduardo Magalhães

O juiz eleitoral de Luís Eduardo Magalhães, Dr. Flávio Ferrari, realizou na manhã desta quarta-feira (08), no Fórum da Comarca, uma coletiva de imprensa para tratar do cadastramento biométrico.

De acordo com o juiz eleitoral, 46% do eleitorado já realizou o cadastro da biometria voluntariamente no município. Agora, a partir da próxima segunda-feira (13), o cadastro passa a ser extraordinário e, obrigatoriamente, todo eleitor ativo, deverá comparecer ao Cartório Eleitoral para realizar a coleta de dados biométricos.

De acordo com o chefe de Cartório Eleitoral, Edilson Paulo Lima dos Santos, o cadastramento da biometria em Luís Eduardo Magalhães, será realizado mediante agendamento prévio, através do site: agendamento.tre-ba.jus.br. “O agendamento prévio através do site do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) evitará filas. Nós estamos nos programando para que o eleitor seja atendido em aproximadamente 15 minutos. Inicialmente, nossa meta é atender cerca de 76 pessoas por dia e, posteriormente, esse número será ampliado para aproximadamente 180 eleitores por dia”, comentou Edilson.

Durante o encontro, o juiz esclareceu aos presentes que o principal objetivo do TRE é tornar as eleições no Brasil cada vez mais seguras. “Todo o eleitor ativo precisa realizar o cadastramento das digitais. Os eleitores que não são ativos, como as pessoas idosas, mas que quiserem votar na próxima eleição, também precisam realizar a biometria; dessa forma teremos uma eleição mais segura”, explicou Ferrari. “As consequências para o eleitor que não realizar o procedimento são sérias. Além de ter o título de eleitor cancelado, o CPF também poderá ser suspenso pela Receita Federal”, continuou o juiz.

A Secretaria de Trabalho e Assistência Social realizará o agendamento dos eleitores que não possuem acesso à internet na sede da secretaria e nas unidades descentralizadas do Programa Bolsa Família. O Cartório Eleitoral também contará com o auxílio das unidades escolares para realizarem o agendamento de alunos e professores. As empresas, faculdades e fazendas também poderão ser parceiras, realizando o agendamento dos seus funcionários e, sendo possível, da comunidade em seu entorno.

O cadastramento da biometria acontece de 13 de maio de 2019 a 18 de fevereiro de 2020, mediante agendamento prévio. O novo horário de funcionamento do Cartório Eleitoral de Luís Eduardo Magalhães é de segunda à sexta-feira, das 7h às 17h. No dia do cadastramento o eleitor precisa apresentar um documento oficial com foto em bom estado e um comprovante de residência. Procedimentos como requerimento de primeiro título, transferência de domicílio eleitoral e correção de dados no título eleitoral também serão realizados por meio do agendamento.

Assessoria de Comunicação (ASCOM)
Prefeitura de Luís Eduardo Magalhães/BA

Abapa apoia a realização do I Extreme Lem neste final de semana

Com o lema “Algodão presente no esporte”, a Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa) está apoiando a realização do I Extreme Lem Veloterra/Motocross. O evento será realizado neste final de semana na Pista Joacy Jr, em Luís Eduardo Magalhães. A competição tem início no sábado (30) às 14h, e no domingo, às 9h, quando as motociclistas estarão prontos no “grid” para as largadas.  A organização está esperando a participação de cerca de 200 motociclistas da região e de estados vizinhos como Distrito Federal, Goiás, Minas Gerais, Piauí e Tocantins.

O organizador do evento, o presidente da Associação de Motociclismo de Luís Eduardo Magalhães, Asafe Machado, agradece a parceria da Abapa para a realização da primeira edição do evento. “É um esporte com um crescimento do número de adeptos na região Oeste e esperamos uma grande competição. Além dos familiares e amigos dos motociclistas, a população está convidada para conferir a radicalidade do Motocross e Veloterra”, afirma.  O Veloterra se diferencia do Motocross por não ter saltos e incluir motos comuns como CG´s e Titans em suas categorias. A emoção maior está centrada exatamente nas disputas curva a curva.

Ao apoiar o evento, o presidente da Abapa, Júlio Busato, acredita que a entidade está cada vez mais próxima do esporte trazendo cada vez mais pessoas a conhecerem as ações desenvolvidas pelos produtores de algodão para o desenvolvimento socioeconômico do Oeste da Bahia. “Por meio da Cotton Bike e da Corrida de Algodão, realizadas pela Associação, estamos incentivando as pessoas no uso da fibra no vestuário por meio da campanha ‘Sou de Algodão’ e da mudança da percepção da população, que começa a ver o quanto a nossa produção de algodão é tecnificada e sustentável com respeito ao meio ambiente, garantindo mais emprego e renda para a região”, afirma.

Realizada pela Associação de Motociclismo e Trilha Motos, o Extreme Lem também conta com o apoio da Abapa e da Prefeitura de Luís Eduardo Magalhães.  Informações e inscrições: (77) 9.9940.0093/ (77) 9.9824.9194.

Assessoria de Imprensa Abapa 29/03/2019   

#ForçaBes: uma campanha que traduz o significado de fazer o bem

Em 2017, uma vida se foi precocemente. Guilherme Bes da Rosa era conhecido na cidade, possuía diversos amigos e, então, partiu por conta de uma pneumonia que o deixou em coma por alguns dias. Seus amigos, que lutaram lado a lado para que fosse possível chegar a todas as soluções que pudessem cooperar com sua recuperação, decidiram então transformar o luto em força. E nasceu a campanha “Força Bes – Transformando saudade em amor ao próximo”.

No princípio, a campanha surgiu com a ideia de arrecadar sangue, quando Guilherme esteve internado num hospital em Brasília e precisou de algumas transfusões para sobreviver. Então surgiu o nome #ForçaBes, para que ele tivesse força para sair do coma em que se encontrava. Infelizmente não foi possível.

Hoje, a campanha se estendeu e o grupo de amigos que encabeçou a ideia, pede ajuda à população, para que doem alimentos ou até mesmo itens básicos, que geralmente fazem parte de cestas básicas. Sem receber o apoio de nenhuma instituição (a não ser pelas empresas que aceitaram agir como pontos de coleta), as amigas Taline Saueressig, Drika Kolln e Gabrielle Bes da Rosa levantaram a ideia, lutando para que toda a tristeza da perda de Guilherme se transforme em alegria e esperança para aqueles que mais necessitam.

“Neste momento, estamos nos dedicando a arrecadação de alimentos básicos, para que os kits montados fiquem bem completos, como uma cesta”, contou Taline, que está envolvida diretamente com a ação.

 

Os alimentos e kits montados serão repassados para famílias carentes da cidade, geralmente atendidas pela Paróquia Santa Rita de Cássia (Jardim das Acácias) e pelo Centro Espírita do bairro Mimoso I. Além disso, parte das arrecadações também serão entregues a instituições como a Coração de Mãe, entre outras, que fazem parte de projetos sociais na cidade.

Caso você queira doar algum alimento, vários pontos de coleta estão espalhados pela cidade. São eles:

* Sicredi
* Planeta Pet
* Feito Borboleta
* Academia Amanda Amorim
* Ane Cler Noivas
* CAT (Colégio Anísio Teixeira)

É só chegar nos pontos de coleta e entregar a sua doação em horário comercial. Todos os alimentos descritos na lista abaixo poderão fazer o natal e a vida de alguém mais felizes.

Para Taline, a campanha tem uma importância muito grande. “É importante que a gente perceba o poder que temos de movimentar o mundo no sentido do bem. Nesses momentos do ano a gente consegue ter uma consciência maior das necessidades dos outros. O #ForçaBes não faz apenas essa campanha, pois também movimentamos as pessoas em prol da doação de sangue em meados do mês de agosto, que foi o mês em que o Gui faleceu. Nós temos essa ação porque nosso amigo era alegria e sabemos que a dor da despedida não falaria por ele”, conta.

As cestas básicas (ou kits) serão entregues no dia 18 de dezembro, dia em que seria comemorado o aniversário de Guilherme. As doações serão aceitas até o dia 14 de dezembro, sexta-feira, e caso você queira contribuir, uma maneira de entrar em contato com as meninas, é pelo telefone:

(77) 9 9934-7710 / Gabrielle
(77) 9 9936-4148 / Drika
(77) 9 9946-5577 / Taline

“A campanha Força Bes é importante tanto no sentido de despertar a caridade, o interesse das pessoas pelos problemas sociais, o amor e todos esses valores que o mundo tem precisado tanto. Também é importante por ser uma ação que faz com que a gente lembre quem de fato era nosso amigo Guilherme”. (Taline)

O Mágico de Oz: Class prepara espetáculo de dança com apresentações incríveis

No caminho da estrada amarela, em busca da cidade das Esmeraldas, o espetáculo será apresentado para os pais, familiares, amigos e todos que prestigiam a arte da dança

Estamos quase no finalzinho de 2018 e, se você pensou que a Class não prepararia um espetáculo cheio de magia, está enganado. Com data marcada para o dia 10 de novembro, o espetáculo acontecerá no Quatro Estações Halls e contará com um elenco de mais de 200 bailarinos.  Os dançarinos e dançarinas que estarão presentes no espetáculo já estão afiadíssimos e cheios de vontade de mostrar o que de melhor sabem fazer: encantar.

Como nos anos anteriores, a Class está preparando uma super estrutura. Telões, efeitos de luzes, música, cenários e figurinos impecáveis dão mais vida à dança e garantem que todos que estiverem assistindo ao espetáculo sairão de lá anestesiados.

Na expectativa de receber mais de mil pessoas em seu espetáculo, como tradicionalmente aconteceu em todas as edições anteriores, a Class escolheu como tema uma obra clássica da literatura infantil que já encantou e ainda encanta muitas pessoas pelo mundo todo: O Mágico de Oz.

A obra original

A obra original, datada de 1939, se passa no Kansas, onde a menina Dorothy vive em uma fazenda com seus tios, quando um tornado ataca a região e ela se abriga dentro de casa. Ela e seu cachorro são levados pela ventania e acabam aterrissando na terra de Oz, bem em cima da Bruxa Má do Leste e a matando. Dorothy, então, é vista como uma heroína, mas o que ela quer mesmo é voltar para casa e, para isso, precisará da ajuda do poderoso mágico de Oz que mora na Cidade das Esmeraldas. No caminho, a menina é ameaçada pela Bruxa Má do Oeste, que a culpa por ter matado sua irmã. Dorothy encontra três companheiros: um espantalho que quer ter um cérebro, um homem de lata que sonha com um coração e um leão covarde que precisa de coragem. A dúvida e o grande clímax do espetáculo são: será que o Mágico de Oz conseguirá ajudar a todos eles?

Projeto Social Educando com Arte

O Espetáculo de Ballet da Class marca o encerramento das atividades no final do ano e conta com a participação de todo o elenco artístico da escola. A presença especial e notável do Projeto Social viabilizado pela Class é um dos atrativos de todas as edições do espetáculo.

Nesta edição, o espetáculo contará com a participação especial do grupo de Street Dance e o projeto de bolsistas de ballet clássico da escola. Hoje, a Class atende 50 crianças e adolescentes através dos projetos sociais, escolhidos entre talentos presentes nos bairros da cidade. Esta é uma grande oportunidade que o público tem de prestigiar e incentivar estes grandes talentos de Luís Eduardo Magalhães. A valorização do artista é algo muito prezado pela Class.

E essa valorização reflete na felicidade e no amor que é emanado pelos dançarinos e dançarinas da escola. É possível perceber sem muito esforço que a Class não é apenas uma escola de dança. O espetáculo de fim de ano é o ponto alto da emoção de tantos alunos que amam aquilo que fazem e sentem muito orgulho de si mesmos e de toda a equipe. E nós sabemos que, quando algo é feito com amor e por amor, nada pode dar errado. Prova disso são as palavras do corpo de baile.

Samara Dal Lago é aluna da Class e está participando dos espetáculos anuais pela quarta vez. Nesta edição, ela dará vida ao leão sem coragem e se apresentará com números de Ballet, Jazz e Moderno. Para ela, todo o esforço vale a pena e o espetáculo é a prova maior de que o que se faz com amor jamais dará errado. “É extremamente gratificante participar de um evento tão grandioso, principalmente aqui na nossa cidade, que ainda é tão carente nesse âmbito artístico. Nós ensaiamos durante o ano inteiro, durante vários dias e noites e até nos finais de semana para apresentar nossa arte, que vai muito além da dança. Ela trabalha o nosso movimento, musicalidade, consciência corporal e principalmente nos permite conhecer os nossos melhores amigos. Aqui dentro criamos uma família e é no dia do espetáculo que podemos mostrar toda a nossa paixão, toda a nossa história. Nesse dia não existem pés calejados e nem pernas e braços cansados. É o momento que a gente sente e desperta o sentimento da plateia, sem dizer uma palavra, fazendo apenas o que a gente mais ama fazer: dançar com nosso corpo, com nossa mente e com nossa alma. É nesse dia que a gente percebe que todo esforço valeu a pena”, disse.

E para Amanda Resende, que também participa dos espetáculos da Class há 4 anos, o sentimento é de felicidade e gratidão. Ela estará presente em coreografias de ballet clássico, ballet moderno e jazz e nesta edição, interpretará Dorothy. “Em todos os anos eu fico ansiosa para dar vida às minhas personagens. São 9 meses de ensaio e quando você olha as danças, a parte teatral e o figurino prontos, a ansiedade aumenta mais ainda. Fico muito grata por poder participar, pois o espetáculo vai muito além da noite da apresentação. No pré espetáculo tem toda a parte da montagem, que envolve todos os alunos; e o pós espetáculo é a parte do reconhecimento do público, tudo isso é muito gratificante”, conta Amanda.

Dois dos dançarinos que participam do projeto social também estarão presentes no espetáculo, assim como todos os outros alunos. Zaqueu Irigueiro interpretará o Homem de Lata, e estará presente nas danças de Hip Hop e Jazz. Para ele, a dança é um exercício de amor. “É uma sensação muito boa. No grande dia, você percebe que tudo aquilo é surreal e que certamente não há outro lugar onde eu queira estar. Isso tudo representa o amor e a união entre pessoas com o mesmo propósito. Fazemos com o coração aquilo que amamos: dançar”, disse.

Julio Lima será o Espantalho no espetáculo deste ano e estará presente nas danças Jazz e Street. Para ele, os alunos estão lá não apenas para dançar, mas para expressar o que sentem. “Sentimos muita emoção no grande dia. Todos da Class são companheiros, e é isso que me motiva mais ainda a querer dançar”, conta ele.

Carla Brunetta, idealizadora e também professora de dança da Class, sempre direciona os alunos com muito amor. Para ela, a expectativa é gigante. “Estamos com muitas expectativas positivas, com tudo pronto e preparado com muito amor e carinho. Deixamos aqui o nosso convite a todos para prestigiarem nossos artistas. Quem for nos assistir, verá nossa arte e ouvirão também nossos corações”, encerra.

Nas edições anteriores, a Class bateu recorde de público, e em 2018, não será diferente. Então se você ainda não garantiu seu ingresso, corra até a escola de dança e compre o seu. Não é todo dia que vemos um espetáculo artístico tão intenso e plural como o da Class, então, é uma oportunidade e tanto de apoiar os artistas de nossa cidade.

1ª edição do Família Sicredi movimentou a Praça do Jardim Paraíso em LEM

A agência de Luís Eduardo Magalhães da Cooperativa de Crédito Sicredi União MS/TO realizou na tarde de sábado, dia 16, o evento Família Sicredi, um projeto de transformação nas comunidades por meio de parcerias e do trabalho voluntário. O evento, que aconteceu das 16h às 19h na Praça do Jardim Paraíso e contou com ações de saúde, educação, cidadania e preservação do meio ambiente, além de uma animada Cãominhada. Com este evento, o Sicredi reafirma que sua principal intenção é promover o cooperativismo em todas as áreas da vida e não apenas dentro da cooperativa de crédito.

   

O Família Sicredi reuniu famílias, crianças, jovens e adultos em um espaço público para celebrar os 30 anos da Sicredi União MS/TO e promoveu uma tarde de muita diversão para toda a população. Como parceiros estiveram presentes empresas como a Amigão Cão, ONG Vida Bixo, Abrigo de Cães Doce Lar, Secretaria de Meio Ambiente, Rotary Club, Unipet, entre outras.

Orgulhoso pelo caminho trilhado até então, Rodrigo Machado, gerente da agência do Sicredi em Luís Eduardo Magalhães, diz que o espírito da cooperativa desde a sua criação é exatamente esse: colaborar para que as pessoas façam parte de cada conquista. “Uma realização como esta que estamos vendo hoje é importantíssima para nós e também para a comunidade. A Sicredi União MS/TO vem realizando o Família Sicredi em outras cidades também, dessa vez foi aqui, e estamos muito felizes com a receptividade das pessoas”, contou.

O Conselheiro da Sicredi União MS/TO, Lourival Bublitz, também esteve presente na ocasião e ressaltou a importância de eventos como esse, tal e qual a importância da cooperativa ter se destacado nos últimos tempos. “O Sicredi é uma Cooperativa de Crédito que mais cresce atualmente, chegando a alcançar 20% de evolução em um ano. Dentro de 5 anos, o Sicredi dobra de tamanho e isso é importantíssimo. O Família Sicredi mostra como exercemos a principal ideia da cooperativa: participando e fazendo com que as pessoas participem também”, disse.

Os parceiros

Como citado anteriormente, a cooperativa contou com um quadro excepcional de parceiros que ajudaram a fazer o Família Sicredi acontecer. Como membro do Rotary de LEM, Elio Ramom Souza parabenizou a organização do evento e reiterou aquilo que todos conseguiram ver: o evento é importantíssimo para a comunicação entre a população e a cooperativa.  “O Família Sicredi faz com que as pessoas conheçam um pouco mais dos valores da cooperativa, inclusive sobre o cooperativismo, que é o seu carro chefe”, disse.

A Cãominhada, que foi realizada no fechamento do evento, arrecadou vários quilos de ração para cachorros que serão doados à ONG Vida Bixo e também ao Abrigo de Cães Doce Lar, instituições da cidade que protegem e acolhem animais de rua. A Sicredi União MS/TO finalizou as ações da tarde com sorteios para aqueles que participaram das atividades esportivas e recreativas.

   

Panorama: onde abastecer em LEM e como anda a paralisação dos caminhoneiros

Um dos efeitos da paralisação iniciada pelos caminhoneiros é a falta de combustível. No início, quando tudo ainda girava em torno de rumores, muitas pessoas encheram os tanques de seus automóveis com medo de ficarem sem ter como chegar ao trabalho ou até mesmo realizarem suas atividades cotidianas. Mas lá se vão 10 dias de paralisação e quem tinha combustível de sobra começa a sentir a escassez na pele.

Hoje conversamos com a maioria dos responsáveis pelos postos de combustível de Luís Eduardo Magalhães para podermos traçar um panorama que ajude nossos leitores. Fomos atrás de informações como valor, quantidade e até mesmo se determinado posto tem ou não combustível em suas bombas para oferecer aos seus clientes. De uma visão geral, a gasolina e o etanol estão escassos em LEM, e no momento é mais fácil abastecer se você tiver um veículo movido a óleo diesel e, ainda assim, é recomendável que escolha pela versão S-10, a única encontrada com uma pequena abundância na cidade (e com preços nada atrativos, convenhamos).

Confira como está a situação do abastecimento dos postos de combustível na cidade:

Onde abastecer:

Auto Posto Imperador
Endereço: Rodovia BR 020, s/ n°
Funcionamento 24h

– Diesel S-10: R$ 3.75 / litro

Auto Posto Fórmula 1
Endereço: Rua Enedino Alves da Paixão, n° 3242
Funcionamento: 24h
– Diesel S-10: R$ 3,99 / litro

Posto Porto Brasil
Endereço: Avenida Barreiras, n° 5
Funcionamento: 24h
– Diesel S-10: R$ 3,94 / litro (Até o momento da matéria, só haviam 3 mil litros nas bombas)

Postos da Rede 90

Funcionamento: das 6h às 23h

– Diesel S-500: R$ 3,63 / litro
– Diesel S-10: R$ 3,73 / litro

Até o fechamento desta matéria, os únicos postos que aguardavam e tinham previsão de chegada de combustível para hoje – mas sem saber o horário exato e muito menos a quantidade – são os da rede ALE.

– Auto Posto Columbia
Endereço: Rua Paraíba, n° 1249 – Mimoso I

– Auto Posto ALE
Endereço: Rua Juscelino Kubitscheck, n°2-16 – Jardim Paraíso

Horário de funcionamento de ambos: das 6h às 22h

Não conseguimos contato com os responsáveis pelos postos Ipiranga/Cristal, Posto 020, Mimosão, MS, Auto Posto 100 e Auto Posto 88. O posto Jardim Imperial, situado no bairro de mesmo nome, não possui nenhum tipo de combustível disponível em suas bombas.

O encarregado administrativo do Auto Posto Fórmula 1, Gelson Sturmer, afirma que, mesmo tendo uma liminar que o dá direito por justiça a receber abastecimento para repassar a seus clientes, a previsão de chegada de combustível ainda é uma incógnita. “Deveria ter recebido hoje alguns litros, mas os caminhões não estão passando pelas rodovias e chegando até aqui”, disse.

A situação dos cidadãos que precisam dos combustíveis como gasolina e etanol para abastecerem acaba se agravando e, de certa forma, não possui data para ser normalizada.

Entenda a paralisação

Há 10 dias, como citado acima, caminhoneiros de todo o Brasil resolveram parar e reivindicar uma diminuição nos impostos referentes ao valor do óleo diesel e também à isenção da cobrança de pedágio referente aos eixos suspensos dos caminhões. A paralisação dos mesmos causos um desabastecimento em grande escala que afetou o país todo, em suas devidas proporções em cada região levada em conta. Hoje, quarta-feira, dia 30 de maio, ainda é desconhecido um acordo que seja útil ou justo para que a classe trabalhadora cesse a paralisação.

Na opinião de Guilherme Quintão, cientista político e diplomata, a atual mobilização dos caminhoneiros é mais um exemplo do esgotamento do pacto social e do modelo distributivo no Brasil. “Ao longo da história recente, o Estado brasileiro sucumbiu aos mais segmentados interesses a fim de que seus governantes se assegurassem de uma mínima estabilidade institucional e de um ambiente de “normalidade democrática””, diz. O problema, segundo Quintão, é que o atendimento de pleitos de segmentos públicos ou privados específicos – porém poderosos – fizeram-se às custas da classe média e das camadas mais pobres da população, as que mais pagam impostos no Brasil, como vários estudos recentes têm demonstrado.

Em suma, um dia a corda ia estourar.

Para o ex-ministro da Justiça, Eugênio Aragão, o movimento dos caminhoneiros só existe porque existe uma demanda que depende do serviço que esses atores prestam à economia industrial e de consumo. Aragão frisa a importância em se destacar a existência de dois tipos de transportes rodoviários de carga no Brasil: um, oferecido por grandes empresários; e outro, individual, promovido por autônomos.

O primeiro grupo na opinião do ex-ministro tem gordura para negociar as condições fiscais dos seus empreendimentos, pois, “faturam e pagam suas obrigações com prazos mais largos, têm capital de giro e geralmente diversificam seus investimentos”. O segundo normalmente recebe por viagem, assumindo os custos de sua atividade e os riscos inerentes à precariedade de nossa infraestrutura logística. Esses, de acordo com Aragão, precisam cobrir o preço do combustível, do pedágio e do próprio suprimento de comida e outros itens ao longo do caminho.

“Esses profissionais cumprem itinerários e prazos rígidos que lhes são impostos por contratantes e não dispõem de flexibilidade financeira. O dinheiro que recebem é no mais das vezes de preço fixo e gasto em boa parte no período de descanso obrigatório e inevitável entre um frete e outro, ou no retorno sem carga. Devem horrores às financeiras e vivem na estreita greta de sua (in) viabilidade econômica. Longe de suas famílias, passam dias e noites dirigindo seus caminhões, mantendo-se acordados com uso de rebites e altas doses de cafeína, seja na forma de chimarrão ou de cafezinho requentado em garrafa térmica”, argumenta Aragão, destacando que viagens que antes pagavam 8 mil reais, passaram a oferecer apenas 5 ou 6 mil.

O problema é que os custos da atividade transportadora não diminuiu. “Pelo contrário, o governo, insensível para com as necessidades do setor, liberou o preço do combustível na refinaria e na bomba, bem como autorizou aumentos é mais aumentos do pedágio rodoviário”, pontua Aragão.

Texto: Anton Roos e Even Vendramini

Greve dos caminhoneiros escancara indignação geral da população

A greve dos caminhoneiros iniciada na última segunda-feira, 21, alcançou seu momento mais crítico. Na manhã desta quinta-feira, 24, enquanto o presidente da república, Michel Temer, reunia-se com representantes do alto escalão do seu governo e com o presidente da Petrobrás, Pedro Parente, por todo país começava-se a confirmar o óbvio, após quatro dias de greve: “está faltando combustível nas bombas dos postos de combustível”. Nas últimas 24h formaram-se filas gigantescas de motoristas tentando abastecer — muitas vezes, em vão — seus veículos.

De acordo com o presidente Câmara dos Dirigentes Lojistas de Luís Eduardo Magalhães, Gilson Sena, no município a tendência para as próximas horas é que a falta de combustível atinja a totalidade — ou quase — dos postos de combustível. “Alguns já estão sem combustível e em outros está acabando”, observa. Na manhã desta quinta-feira, 24, cerca de 2 mil postos do interior do Estado — ou 50% do total — estavam sem gasolina e álcool.

Segundo o Presidente do Sindicato do Comércio de Combustíveis, Energias Alternativas e Lojas de Conveniências do Estado (Sindicombustíveis), Walter Tannus, houve um agravamento da situação, entre o terceiro e quarto dia de greve. “As companhias não conseguiram suprir os postos nas suas quantidades, então, começou a faltar combustível em alguns postos e, com isso você passa a ter uma procura nos postos que ainda tem produtos, os levando a também ficarem sem”, comentou.

No interior a situação é ainda pior. “O Extremo Sul já está quase sem combustível. Região de Barreiras, região do Oeste. Hoje eu já confirmei Amargosa, Conquista, Barreiras, toda essa região sem produto”, elencou Tannus.

A falta de combustível nas bombas, aparentemente, é só o início de um problema que deve se agravar caso a negociação entre governo e representantes dos caminhoneiros não evolua.

O anúncio da Petrobrás em reduzir 10% no preço do diesel nas refinarias soa tão-somente como um paliativo, o tipo de medida tampão que não agrada a ninguém e serve para empurrar o problema para longe, quando a poeira baixar e/ou cair no esquecimento. “Entendemos que uma das grandes dificuldades é a possibilidade de que exista uma trégua, um tempo para uma discussão mais serena dos temas complexos em debate”, disse o presidente da estatal, Pedro Parente.

A bronca dos caminhoneiros é — mais do que nunca — de toda população, ao que tudo indica, doa a quem doer, afinal, os efeitos da greve já começam a ser sentidos em outras áreas. O transporte público das grandes cidades, por exemplo, está comprometido. Por falta de diesel, ônibus começaram a circular em horários reduzidos. Nos aeroportos alguns voos foram cancelados e há chance de faltar querosene — ainda nesta quinta-feira — para abastecimento de aeronaves. Em alguns estados começaram a faltar alimentos nas prateleiras de supermercados. Por meio de nota a Associação Brasileira dos Supermercados (Abras) disse que “está buscando sensibilizar o governo federal para que uma solução seja tomada imediatamente, evitando, assim, que a população sofra com a falta de produtos de necessidades básicas e com uma eventual elevação nos preços”.

Em Luís Eduardo Magalhães, como forma de apoio a greve dos caminhoneiros a CDL iniciou uma campanha junto ao comércio local. “Estamos convidando todos a participarem das manifestações na BR, adesivar sua vitrine como forma de apoio a greve”, explica o presidente Gilson Sena. Para ele, aderir a situação de greve é um reflexo da indignação de toda população. “É injustificável e abusivo a quantidade de aumento praticado nos preços dos combustíveis”, avalia. Os adesivos foram confeccionados pela entidade (ver foto).

Como forma de engrossar o caldo da greve, a Associação Comercial e Empresarial de Luís Eduardo Magalhães convocou para a tarde desta quinta-feira, um ato em protesto contra os preços abusivos dos combustíveis e em apoio à MANIFESTAÇÃO GERAL. A ideia é que o comércio do município feche suas portas das 15h às 18h. “Fecharmos nossas portas em protesto é um ato justo e uma forma de mostrarmos nossa indignação”, diz o comunicado assinado pelo presidente da entidade, Jother Lopes Arcanjo.

A empresária Silvana Sabadin, da loja Love Brands, apoia a iniciativa. Segundo ela é imprescindível que o comércio também faça sua parte. “Temos que aderir a essa manifestação, pois acredito que juntos somos mais fortes. Normalmente quando acontece esse tipo de manifestação, são os caminhoneiros quem tomam a iniciativa. Precisamos nos unir para termos um Brasil melhor”, explica. Silvana, acredita que se ninguém fizer nada, a tendência que a situação piore. “Precisamos pensar no futuro, sempre quem paga as contas somos nós”, diz. A empresária revela que tem mercadoria a receber e ainda não sabe como será, caso a greve continue por muito mais tempo.

Na tarde de ontem, quarta-feira, 23, um ato cívico em apoio à paralisação dos caminhoneiros reuniu autoridades políticas, entre elas o prefeito Oziel Oliveira, secretários e vereadores; empresários e população em geral. O ato ocorreu próximo ao complexo da Bahia Farm Show, um dos três pontos de paralisação no município. Os outros são: próximo ao Posto Imperador (sentido Brasília) e Centro Industrial do Cerrado (CIC) (sentido Tocantins). Para a tarde desta quinta-feira, 24, está prevista nova concentração em frente ao Hiper Santo Antônio na Avenida JK e, logo após, um buzinaço partindo em direção ao complexo Bahia Farm Show, também em apoio a greve dos caminhoneiros.

Bahia Farm Show e Jorge e Mateus

A propósito, a greve dos caminhoneiros mexeu num dos maiores eventos agrícolas do país. A 14ª edição da Bahia Farm Show agendada para começar na próxima terça-feira, 29, excepcionalmente este ano, terminará no domingo, 03, e não no sábado, como em anos anteriores. A mudança, segundo a organização da feira, fez-se necessária para garantir a segurança comercial dos expositores que ainda não conseguiram chegar à feira por conta da paralisação. Uma série de outras medidas foram anunciadas visando a manutenção do evento e segundo a organização da Bahia Farm Show “os produtores rurais do oeste baiano apoiam o movimento dos caminhoneiros e a importância da luta pela redução dos preços dos combustíveis, por entender ser uma reivindicação comum ao setor agrícola”, mas, “reconhece que a greve não pode atrapalhar a realização da feira, pois o seu cancelamento implicaria em prejuízos incalculáveis à região do Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia), tanto na parte econômica como na parte social”.

O show da dupla Jorge e Mateus marcado para o próximo domingo, 27, é/era outro com risco de ser afetado pela greve. Em contato com a organização do evento, fomos informados que apesar das dificuldades por conta da greve o show deve acontecer como previsto.

*

A questão — que os governantes insistem em não entender — é que possivelmente não haja tempo, tampouco clima para uma discussão ou debate mais “sereno” como sugere o presidente da Petrobrás ou que represente uma “trégua” como é o desejo do presidente da república, Michel Temer. Exemplos não faltam que a estratégia de apostar na boa vontade alheia e com isso forçar o “lado mais fraco” a desistir, historicamente, só trazem prejuízos à população.

23ª formatura da Unopar em Luís Eduardo Magalhães diploma 170 alunos em meio à muitas emoções

A noite do sábado, 26 de agosto, foi marcada pela emoção e pela vitória. A 23ª formatura da Unopar em Luís Eduardo Magalhães diplomou 170 profissionais qualificados e prontos para ingressar no mercado de trabalho.

A Missa Ecumênica aconteceu no dia anterior, no Centro de Convivência da Igreja Santa Rita de Cássia, abrindo as comemorações. A cerimônia de colação de grau aconteceu no Quatro Estações Hall e foi recheada de emoções. A homenageada da noite foi Ana Amélia Junqueira Lopes, também diretora da Unopar Gacea, que foi escolhida como paraninfa geral das turmas e também deu nome à primeira turma de educação física formada pelo polo de LEM. “É muito emocionante receber essa homenagem e agradeço a todos vocês, primeiro por confiarem na Unopar para realizarem seus sonhos e, segundo, por escolherem dar meu nome à sua turma”, agradeceu Ana Amélia emocionada.

Em meio à emoção, foi fácil perceber os olhos úmidos dos formandos ao ouvirem seus nomes sendo chamados, a vibração dos familiares que, em êxtase, comemoravam o momento e, também, o orgulho de cada tutor ao ver seus pupilos chegando ao final de uma longa caminhada. “A sensação é de dever cumprido, neste primeiro passo da minha vida acadêmica e profissional. Adiei esse sonho quando me tornei mãe e para acompanhar meu esposo na sua profissão. Estava cada vez mais difícil, mas sabia que o meu momento ia chegar. Foi quando conheci a Unopar LEM. Fiquei encantada com a estrutura e sabia que só dependeria de mim, como aluna, para alcançar esse sonho. E, finalmente, celebrei com muita emoção essa conquista. Gratidão a Deus, pela oportunidade, aos familiares pelo apoio e a Unopar, por nos oferecer um ensino de qualidade e, também, nos fazer acreditar que na Unopar nunca estamos sozinhos”, comemorou Renata Dias Araújo, agora formada em Recursos Humanos.

Os cursos diplomados nesta cerimônia foram Administração, Ciências Biológicas, Contábeis, Educação Física, História, Letras, Pedagogia, Serviço Social, Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Estética e Imagem Pessoal, Gestão Ambiental, Recursos Humanos, Gestão Financeira, Gestão Pública, Logística, Marketing, Processos Gerenciais e Segurança do Trabalho.

Os alunos do sistema EAD, em sua maioria, conciliam os estudos com o trabalho e buscam na Unopar a realização de seus sonhos, sem medir esforços para conquistar esse objetivo. “Depois de quase 18 anos sem estudar, começar uma faculdade não foi fácil. E a Unopar, para mim, foi maravilhosa. Poder frequentar as aulas uma ou duas vezes por semana ajudou muito a conciliar com filhos e trabalho. Foi preciso estudar, buscar meios para me dedicar e ter muito amor pelo estudo e pela profissão. Ao mesmo tempo, os tutores Marcos e Sérgio nos ajudaram muito, com dedicação e paciência. Também preciso agradecer à toda a equipe da Unopar, que sempre me ajudou, e à Ana Amélia, uma pessoa maravilhosa e que mereceu a homenagem da nossa turma. É muito gratificante ter meu diploma em mãos neste momento, mas não pararei por aqui. Agora pretendo concluir o bacharelado em Educação Física”, contou Marisa Arlete Sommer, uma das formandas da primeira turma de Educação Física da Unopar LEM.

A formatura da Unopar aconteceu simultaneamente em 531 polos espalhados pelo Brasil. No sábado, mais de 32 mil alunos foram graduados pela Unopar. Na cerimônia, cada formando recebeu o seu diploma oficial, em tempo real. “Quando, em 2003, trouxemos a Unopar para LEM, muitos desvalorizam a educação a distância. Mas nós sempre acreditamos nessa modalidade de ensino, mesmo quando outros desacreditavam. Pudemos ver, desde a primeira turma, a qualidade do ensino e a credibilidade da Unopar. Por isso, cada formatura nos traz novamente a certeza de que tomamos a decisão certa de trazer essa universidade para nossa região. Nossa missão é educar e capacitar nossos alunos para o mercado de trabalho e, nesta 23ª formatura, chegamos a quase 3 mil alunos formados pelo nosso polo”, afirmou Ana Amélia em seu discurso. “Ter uma faculdade é um sonho possível e na Unopar, nenhum aluno se sentirá sozinho. Agradeço a toda nossa equipe, nossos tutores e a Deus por nos ajudar a seguir com esse sonho em prol da educação em Luís Eduardo Magalhães”, finalizou.

ASCOM UNOPAR/GACEA

Agência Immagine

Agricultores da Coaceral promovem `Tratoraço´ contra cobrança abusiva do Funrural

Os agricultores da região produtiva da Coaceral, em Formosa do Rio Preto (BA), se mobilizaram na manhã desta terça-feira (15) contra os abusivos impostos cobrados pelo Governo Federal. Eles realizaram um ‘Tratoraço’ e interromperam parcialmente o tráfego da BA-225, um dos importantes pontos de escoamento para a Coaceral, um dos principais polos agrícolas da Bahia. No pleito da reivindicação, está principalmente a aprovação do PRS 13/2017, tramitando na CCJ do Senado, que encerraria uma batalha judicial contra a cobrança do Fundo de Assistência ao Trabalhador Rural (Funrural), cuja alíquota é de 2,1% da receita bruta do empreendimento agrícola.

Agricultor há 16 anos na Coaceral, Carlo Reginatto, acredita que a aprovação de mais este imposto pode inviabilizar a produção agrícola brasileira. “Trabalhamos em um negócio de risco, que depende de fatores climáticos. Trazer mais este imposto pode impactar ainda mais o setor, principalmente depois do aumento do diesel que já sobrecarrega a contratação de frete para trazer insumos ou escoar a produção”. Gerente da Fazenda Concórdia, Emerson Felippin, vê no dia-a-dia o quanto este imposto pode prejudicar os agricultores. “Eles terão que reverter o imposto para o governo ao invés de investir na produção agrícola por meio da contratação de pessoas ou compra de máquinas e implementos agrícolas, movimentando a economia”, afirma.

Instituição que representa os agricultores da Coaceral, a Associação dos Produtores da Chapada das Mangabeiras (Aprochama), também se posiciona contrária à cobrança do Funrural. Ao apoiar na organização da mobilização, um dos diretores da associação, Adilson Sujuki, diz que os agricultores precisam se manter mobilizados para sensibilizar os parlamentares. “Em meio à crise, fomos um dos setores que mais impulsionaram a economia com emprego e renda, sendo injusto o Governo Federal recompensar nossos esforços com mais imposto para pagar”, revolta-se.

Além da mobilização na região da Coaceral, a Aprochama integrou o Tratoraço realizado na BR-020,  em frente ao Complexo Bahia Farm Show em Luís Eduardo Magalhães (BA), organizado em conjunto pelos agricultores ligados à Associação dos Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba) e o Sindicato dos Produtores Rurais de Luís Eduardo. “Continuamos unidos e mobilizados ao que está acontecendo em Brasília. Queremos pressionar os parlamentares a corrigir a injusta cobrança do Funrural sobre o faturamento bruto, seja pela aprovação de emendas na Medida Provisória 793, seja pela PRS 13/2017, do Senado Federal. Tirar recursos dos produtores em forma de imposto não irá ajudar o país a sair da crise”, explica o presidente da Aprochama, Edson Fernando Zago.

Araticum Comunicação