De Luanda para LEM: vamos ajudar o Venâncio a permanecer no Brasil?

Todos temos limitações, certo? Precisamos concordar, em algum momento, que todas as pessoas existentes no mundo tem seus problemas e passam por dificuldades. E podemos concordar também que o que as diferenciam é a maneira como cada uma escolhe lidar com aquilo que lhe aflige, não é? Pois bem. Começamos este texto assim por que nele você vai conhecer a história do Venâncio, uma pessoa que tem limitações, mas que escolheu lidar com seus problemas da melhor maneira: não desistindo. Acima de tudo, ele tem coragem.

Venâncio está no Brasil por conta de uma bolsa de estudos que conseguiu num processo seletivo que participou em seu país, a Angola. De Luanda, ele resolveu que queria ser Engenheiro de Produção e veio para então estudar na UFOB, onde está se graduando hoje. Filho de Dona Margarida e com 12 irmãos, a situação para sua mãe lhe manter aqui no Brasil foi ficando difícil, fazendo com que Venâncio começasse a apelar para a ajuda alheia. Ele é negro, albino, e possui algumas limitações causadas pelo albinismo que o difere quando colocado ao lado dos colegas de sala.

Estes são alguns dos irmãos de Venâncio. Na foto também se encontra Dona Margarida, sua mãe

E aí você se pergunta: mas como vocês conheceram o Venâncio? Explicamos.

Ele ganhou um sorteio realizado na UFOB, onde o prêmio era um ingresso para participar do 3º FEL – Fórum do Empreendedorismo de LEM, que aconteceu nos dias 6 e 7 de abril e então resolveu que marcaria presença. Após a finalização do nosso querido palestrante Samuel Bortolin, exemplo de inspiração e perseverança para nós, Venâncio agradeceu pela oportunidade de estar ali, participando, e nos contou sua breve história de vida. De cara ficamos felizes por tê-lo conhecido, pelo simples fato de sua coragem e humildade em estar conosco expondo sua situação e compartilhando sua história, que por sinal, é também de força e perseverança.

A partir de então, fizemos uma rede de amigos que resolveram ajudar direta e indiretamente, e a ação vem dando super certo. Prova disso é que Venâncio foi acolhido por uma senhora que lhe forneceu uma Kitnet no bairro Santa Cruz, bem do ladinho da faculdade, e que também prepara sua alimentação, como as refeições do almoço e do jantar. Ele ganhou uma bicicleta, o que lhe ajuda no quesito locomoção sem que se gaste dinheiro; uma cama, um computador – pois até então, Venâncio estudava apenas pelo celular que trouxe consigo de seu país; um climatizador, protetor solar e um óculos, o que lhe poupa de estudar com tantas dificuldades como ele fazia anteriormente, usando uma lupa para lhe auxiliar.

Com a ajuda do nosso querido amigo e jornalista Muller Nunes e também da Aíla Cardoso, que já conhecemos há tempos, Venâncio conseguiu muitas doações e uma das coisas mais importantes, ele tem sido reinserido na sociedade, onde pode ser acolhido psicologicamente e criar uma convivência, pois com certeza podemos imaginar como é difícil viver sozinho em um país estrangeiros com dificuldades e limitações. Mas a luta por ajuda não para, pois ele ainda precisa se manter por mais um ano no Brasil, para que consiga terminar os estudos.

Hoje o nosso apelo é por sua humanidade. Estamos buscando ajuda-lo como podemos e queremos contar com você que tem algo a doar, seja valores em dinheiro, roupas, sapatos, cestas básicas, artigos para que ele estude em boas condições ou apenas uma palavra de amor e carinho.

Venâncio possui uma conta no Banco do Brasil, onde as doações chegam diretamente para ele. Se você quiser e puder ajudar, os dados são: Agência 2997-1,  Conta Corrente: 48.071-1 e seu nome completo é Venâncio Ndunduma Zagi. Os valores recebidos serão encaminhados para o pagamento da kitnet onde ele mora, que fica em torno de 250 reais mensais e utilizados também em seus estudos, como gastos com xerox, etc.

Qualquer doação encaminhada para ele será de grande ajuda e nós temos certeza que cada um que cooperar estará ajudando a realizar o sonho de uma pessoa muito esforçada e aplicada. Venâncio merece nossa ajuda e nosso apoio!

Se você quiser entrar em contato para direcionar alguma doação, fale conosco ou ligue para Aíla, que está totalmente engajada na situação e possui contato direto com ele. Seu telefone é (77) 9 8131-7424. Ela também disponibilizou sua conta bancária ligada ao Bradesco para que aqueles que quiserem doar: Agência 2077, Conta Corrente 27800-9, no nome de Aila Cardoso Ferreira.

São nestes momentos que conseguimos perceber tudo o que fazemos de errado ou desnecessário em nossa vida. Qual o limite da perseverança? Onde as pessoas imaginam que podem chegar quando precisam de algo? Conhecer Venâncio foi de grande valia pelo simples fato de que ele é luz, e pessoas que são luz irradiam sua boa energia por onde passam. Acreditamos que ele seja merecedor de tudo de bom que vem acontecendo em sua vida e queremos ajudar a acontecer mais ainda. Pode nos ajudar a fortalecer esta corrente?

Contamos com você!